You are here
Home > Economia > Frete rodoviário no agronegócio cresce 9,5% no acumulado de janeiro a setembro

Frete rodoviário no agronegócio cresce 9,5% no acumulado de janeiro a setembro

Segundo o Índice de Fretes e Pedágios Repom (IFPR), a demanda por frete rodoviário no Agronegócio teve incremento de 9,5% ao considerar o acumulado do ano – de janeiro a setembro de 2020. A Repom, marca líder em soluções de gestão e pagamento de despesas para frota própria e terceirizada da Edenred Brasil, traz mensalmente os dados e as análises do período e, ao analisar o mês de setembro com o mesmo período em 2019, foi possível notar um aumento de 4,6% no volume de fretes rodoviários.

Ao considerar a Indústria e o Varejo, houve um incremento de 8,4% nas demandas por frete nos nove meses do ano, reforçando a retomada das atividades econômicas. Ao considerar somente setembro, o crescimento no volume de frete foi de 19,9% frente ao mesmo período do ano passado, figurando como um mês bastante ativo no que se refere a emissões. A expectativa é que este ritmo continue em outubro, período bastante relevante em termos de movimentação de cargas rodoviárias.

“O ritmo positivo bastante expressivo da Indústria e do Varejo confirma que a depressão no setor foi superada. A taxa de ritmo diário de setembro superou em 25% o período pré pandemia e comparativamente ao mês de abril, o pior mês do ano em emissões, a recuperação foi de 40 pontos percentuais”, pontua Thomas GautierHead de Mercado Rodoviário da Edenred Brasil.

Com relação ao número total de viagens emitidas de janeiro a setembro, o ano de 2018 figurou com 2,41 milhões de viagens, 2019 com 2,71 milhões – um incremento de 12,2% com relação ao ano anterior – e 2020 ficou com 2,94 milhões de viagens emitidas, representando um aumento de 8,6% frente a 2019.

Ritmo de passagens nas praças de pedágio do País já é similar a período pré pandemia

O IFPR também apresenta o comportamento nas passagens das praças de pedágio em todo o País. O universo analisado no levantamento contabilizou 31 milhões de passagens no período de janeiro a setembro de 2020. O ritmo mensal apresentou queda de 2,7% nos últimos dois meses – agosto e setembro – frente aos dois primeiros meses do ano, período pré pandemia. “O mês de setembro, especificamente, já apresentou ritmo de passagem similar ao período pré pandemia, o que demonstra a retomada da economia do País”, alerta Gautier.

Ao analisar o fluxo de passagens nas principais rodovias do Brasil, nota-se uma grande recuperação ao comparar setembro com o mês de maio, por exemplo – pico da pandemia do coronavírus no País. A rodovia SP – 330 registrou queda de 21% no número de passagens em maio e, setembro, teve incremento de 3,5%, frente aos mesmos meses em 2019. A melhora representa quase 25 pontos percentuais em um cenário de recuperação.

Já a BR – 116 contou com incremento de 37 pontos percentuais na comparação do mesmo período. Maio teve queda de 419% no número de passagens, enquanto o mês de setembro apresentou queda de apenas 3,4% no comparativo com 2019.

Os veículos pesados registraram uma dinâmica de crescimento de 13,8% no fluxo de passagens em setembro, revertendo um cenário de queda vertiginosa registrado em maio, período que apresentou queda de 16,1%.

Com relação aos veículos leves e médios ainda é possível notar um cenário de recuo frente ao período pré pandemia – 8,1% menor em movimentações em setembro. Porém, com queda bem menor do que a observada nos últimos dois meses – que apresentou a média de 15%.

O IFPR é um estudo mensal que atualiza o cenário do frete rodoviário e também das passagens nas praças de pedágios das principais rodovias brasileiras, levantado pela Repom, que intermedia mais de 25 milhões de transações por anos, com mais de 1 milhão de caminhoneiros em sua base. Com uma expertise de mais de 25 anos, a Repom conta com um forte DNA financeiro e de inovação por meio de suas plataformas e soluções, usando metodologia ágil, para que seus públicos atinjam altos níveis de eficiência nas operações.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top