You are here
Home > Economia > Investimento no futuro é realidade para apenas 9% da população da Classe C

Investimento no futuro é realidade para apenas 9% da população da Classe C

Aposentadoria é um plano cada vez mais distante para este público

O índice de brasileiros da classe C que investem no futuro é de 9% e daqueles que conseguem pensar em aposentadoria é hoje de apenas 2%. Esses são dados da pesquisa “Não Somos Todos Iguais”, elaborada pela Consumoteca e encomendada pela 99Pay, carteira digital da 99. O levantamento mostra ainda que 60% da classe C retrocedeu sua renda nos últimos três anos, e mais da metade das famílias entrevistadas (55%) vive com uma média de até R$ 3 mil por mês, valor insuficiente para pagar as contas do mês e investir em uma reserva.

Outro fator que atrapalha os planos de aposentadoria são as dívidas: 45% das pessoas da classe C têm o desafio de viver com o dinheiro contato para os gastos do mês, além de pagar parcelamentos de compras realizadas anteriormente.

O objetivo do estudo – realizado com 1.200 pessoas de todas as regiões do Brasil, abordando seu relacionamento com finanças – faz parte da iniciativa da 99Pay de identificar as reais necessidades dos usuários e, assim, seguir desenvolvendo soluções que colaborem com a organização financeira da população. “Nossa missão com a 99Pay é ser uma aliada dos nossos usuários. Em 2020, nós lançamos a carteira para promover mais economia, segurança e acesso em um cenário adverso resultante da pandemia. Hoje, nossa intenção é ir além e colaborar com educação financeira desse público, principalmente das pessoas que vivem com seus gastos no limite”, declara Clarissa Brasil, Head de Marketing e Insights para a 99Pay.

Tecnologia pode ser aliada

A tecnologia, principalmente durante a pandemia da Covid-19, se consolidou definitivamente como uma ferramenta de inclusão. A 99Pay, por exemplo, em pouco mais de um ano de existência colaborou com a redução da circulação de dinheiro físico nas corridas da plataforma 99, oferecendo mais segurança, praticidade, acesso e diminuindo pontos de contato físico, uma tendência durante a pandemia.

Para se ter uma ideia, nas primeiras nove cidades onde a 99Pay iniciou as atividades, as corridas pagas em dinheiro vivo caíram, em média, de 80% para 74% das viagens. “A capilaridade da 99Pay permitiu acelerar a democratização do acesso a meios de pagamento mais rápidos, práticos e sem burocracia. A pesquisa da Consumoteca aponta, por exemplo, o dilema vivido pela classe C, que sempre se encontra entre parcelamentos e dívidas. Nós queremos atuar para minimizar essa situação e ser um agente de mudança, com ferramentas que permitam gerar cada vez mais economia”, conta Clarissa.

Ferramentas

Uma das ferramentas desenvolvidas pela carteira foi o assistente via WhatsApp, que permite operações da carteira digital via aplicativo de mensagens. Por ser um app popular em todas as classes sociais e idades, e com uso ilimitado na maioria dos pacotes de internet móvel, o recurso via WhatsApp facilita a navegação para aquelas pessoas que ainda não têm familiaridade com apps de contas digitais. “Finanças deveriam ser simples e fáceis para possibilitar que as pessoas se organizem e invistam em seus futuros, algo crucial para garantir o bem-estar a longo prazo. Contudo, vemos que a grande maioria da classe C, além de ter rendas enxutas, batalham com o controle desses gastos e também para entender mais sobre esse universo. Por meio da 99Pay, queremos desmistificar o mundo da economia digital, aproximando-o cada vez mais da classe C”, afirma a executiva.

A 99Pay já está presente nas 1.600 cidades onde a 99 opera e oferece serviços como transações entre usuários, recarga da carteira por cartão de crédito, transferência bancária e durante corridas com o motorista parceiro da 99, além de pagamentos de boletos, recarga de celular, promoções, cashbacks e lucro do saldo, equivalente a 220% do CDI. Ainda, o recém-lançado novo app independente da 99Pay traz, entre outras coisas, a possibilidade de compra e venda de Bitcoin sem taxas.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top