Barbiecore: pequenos negócios apostam em tendências e saem na frente

Barbiecore: pequenos negócios apostam em tendências e saem na frente

Com auxílio de pesquisas de mercado, empresas investem no mundo cor de rosa com chances de sucesso nas vendas

Há menos de 15 dias nos cinemas, o filme “Barbie” já quebrou recorde de bilheteria no Brasil neste ano. Além dos impactos na indústria cinematográfica, a produção do live-action também tem movimentado a economia. Os pequenos negócios que apostaram no Barbiecore (tendência que já era notada no mundo da moda desde 2021, marcada pela predominância da cor rosa), antes do lançamento do filme, conseguiram se preparar para melhor atender às altas demandas do mercado.

No Rio Grande do Sul, a empresa RR Componentes, que atua no ramo de enfeites e ornamentos de moda, conseguiu sair na frente da concorrência com a produção de diversos itens na cor rosa. No ano passado, a pequena indústria teve acesso à pesquisa de tendências produzida pela Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), em parceria com o Sebrae.

O estudo já previa a chegada da onda rosa no mundo da moda há dois anos. Segundo o estilista e coordenador do Núcleo de Design e Pesquisa da associação, Walter Rodrigues, em março de 2022, a marca italiana Valentino realizou um desfile marcado pelo pink, sinalizando que a cor estava em alta. Logo depois, começaram a ser divulgadas notícias sobre as gravações do filme.

“As indústrias da moda e do entretenimento são muito próximas. Nosso trabalho é dedicado a buscar essas referências e identificar o que vai criar o desejo no consumidor. Nossas pesquisas apoiam os empresários neste sentido e mostram o caminho mais fácil. Nesse caso, mostramos que seguir a rota do pink iria dar certo”, afirmou.

O diretor da RR Componentes, Robson Nascimento, conta que as informações sobre tendências são fundamentais para que a empresa atue de forma mais assertiva, com menos riscos de desperdícios. “Conseguimos desenvolver produtos que se conectassem com o universo do filme. A cor rosa é muito versátil e se encaixou em muitas coleções. Foi possível aplicar em forros e em cabedais, usando vários tons”, disse.

Diferencial no mercado

A gestora Nacional da carteira de moda do Sebrae, Kamila Merle, explica que acompanhar tendências do mercado é um diferencial competitivo importante para as micro e pequenas empresas (MPE). “Quando um pequeno negócio leva em consideração as pesquisas de tendências da moda, ele se prepara para atender à demanda dos clientes que que desejam produtos alinhados com a tendência de consumo. Esse tipo de consumidor está cada dia mais exigente, informado e consumindo em uma velocidade muito maior”, ressalta.

Segundo ela, os pequenos negócios que conseguirem usar o rosa, colocando identidade da marca ou empresa no produto têm ainda mais chance de se destacar. “Não é apenas surfar nessa onda cor-de-rosa, mas criar modelagens com inspirações dos modelos do filme, estampas e aplicações”, acrescentou.

A superintendente da Assintecal, Silvana Dilly, destaca que a parceria com o Sebrae tem sido fundamental para o desenvolvimento do setor, pois colocou as empresas em outro patamar, devido às capacitações oferecidas. “As empresas desenvolvem produtos que possuem valor agregado por meio do auxílio da pesquisa desenvolvida pelo nosso Núcleo. Em um cenário global, em que micro e pequenas empresas não possuíam acesso a informações de moda com antecipação de tendências, o esforço se tornou ainda mais importante”, frisou.

Além de viabilizar pesquisas, a parceria entre Sebrae e a Assintecal também apoia a realização do Inspira Mais. O evento acontece duas vezes ao ano, com o lançamento de materiais inovadores para o setor da moda. São mais de sete mil visitantes e mais de 150 expositores. A próxima edição será realizada nos dias 23 e 24 de janeiro, no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre (RS).

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *