Fecomércio-PR chega aos 75 anos apoiando um setor que responde por 63% do PIB paranaense

Fecomércio-PR chega aos 75 anos apoiando um setor que responde por 63% do PIB paranaense
A Fecomércio representa 63 sindicatos patronais e expressa a voz de mais de 500 mil empresas.                                                                                                 Foto: Ivo Lima

Desde a sua fundação, a entidade se mantém atenta aos desafios e oportunidades para garantir o crescimento do comércio, serviços e turismo

Apesar do ano ter começado com muita apreensão sob o ponto de vista político, a economia ao longo dos meses vem reagindo. Já para o Sistema Fecomércio, 2023 é um período de muito trabalho, mas também de comemoração. É que a Federação do Comércio, de Bens, Serviços e Turismo do Paraná, entidade, da qual fazem parte o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Serviço Social do Comércio (Sesc) e Instituto Fecomércio de Pesquisa e Desenvolvimento (IFPD) está completando 75 anos de atuação no Estado.

Desde a sua fundação, a Fecomércio do Paraná se mantém atenta aos desafios e oportunidades para garantir o crescimento e a sustentabilidade dos setores que representa.

As atividades do comércio de bens, serviços e turismo, têm grande representatividade na economia do Paraná. Esses segmentos juntos respondem por 63% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, segundo os últimos dados do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes).

Setores de peso como esses precisam contar com o apoio de uma entidade que garanta formação de mão de obra compatível e promoção social. E é isso que a Federação do Comércio, através do Senac e o Sesc, tem feito ao longo de sete décadas e meia, no Paraná.

No caso específico do Senac/PR, o grande legado é que mais de 6 milhões pessoas já passaram pelas suas salas de aula no Estado. Este número corresponde a 55% de toda a população paranaense, que hoje passa de 11 milhões de pessoas.

Os setores que a Fecomércio do Paraná representa também são responsáveis pelo maior número de empregos gerados no Paraná, ou 60% do total. Atualmente, só no setor do comércio, cerca de 700 mil paranaenses trabalham de forma registrada, de um total de quase 3 milhões de trabalhadores com carteira assinada, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego.

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Empresarial da Fecomércio do Paraná, Rodrigo Schmidt, a entidade representa 63 sindicatos patronais e isso é uma grande responsabilidade, além do que seu papel é mobilizar empresários, captar demandas e representar o setor terciário na busca por um ambiente de negócios mais favorável..

Ao longo de sete décadas e meia, a entidade tem dado suporte para que os empresários ligados aos setores do comércio de bens, serviço e turismo possam acompanhar a evolução do mercado, conhecer e adotar as novas tecnologias e implantar as inovações que são necessárias. A Federação também tem a função de representar o empresariado nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, assim como perante a sociedade paranaense.

Educação é a peça fundamental para a melhoria dos problemas

Formar e capacitar profissionais para o mercado paranaense é fundamental para a Fecomércio.                      Foto: Ivo Lima

A Fecomércio do Paraná entende que a educação é a peça fundamental para a melhoria dos problemas de uma Nação, bem como para elevar o patamar social e econômico da população. Nesse sentido, a entidade através do Sesc e Sena tem investido fortemente nesse propósito. A valorização do ensino tecnológico e profissionalizante também tem papel estratégico na atuação da Federação, que tem um orçamento de R$ 19,3 milhões.

O presidente da Fecomércio-PR, Darci Piana, faz questão de ressaltar que na formação da mão de obra, as empresas e empregados do comércio e serviços podem contar com o apoio do Senac, que só no período de janeiro a julho de 2023 ofereceu 516 cursos para as diversas categorias. Hoje são 40 unidades de educação tecnológica, quatro unidades móveis, quatro restaurantes escola e seis cafés escola.

O Senac que começou logo após a Segunda Guerra Mundial formando balconistas para o comércio e pessoas para trabalharem em escritórios, em Curitiba, conta desde 2018  com a Faculdade Senac, que funciona em Curitiba, Maringá, Ponta Grossa e Cascavel.

Entre os cursos oferecidos estão os de Tecnólogo em Gastronomia, Tecnólogo em Análise de Desenvolvimento de Sistemas; Pós-graduação em Cozinha Nacional e Internacional e Pós-graduação em Big Data e Business Analytics.

História da Fecomércio começa com o Senac

Primeira sede do Senac em Curitiba foi no Edifício Prosdócimo, na Praça Tiradentes.

A história do Sistema Fecomércio começou a ser escrita no Paraná pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), que foi criado para atender as exigências do Decreto-Lei nº 8.621, de 10 de janeiro de 1946, que visava a elevação do nível técnico e profissional dos comerciários do País. Em 7 de julho de 1947 nasceu o Senac no Paraná.

A Segunda Guerra Mundial havia acabado e as empresas precisavam traçar metas, criar novas estratégias, desenvolver tecnologias e viver de acordo com os novos tempos. E quem diria, há 75 anos as empresas e empregados do comércio já buscavam a qualificação profissional.

Desde o seu início, a forma de trabalho do Senac Paraná se destaca pelo espírito de progresso e cooperação. Já no dia seguinte à sessão solene de sua criação, surgiram os primeiros projetos. Entre eles, os cursos Prático de Escritório e Balconista, ambos em Curitiba. O curso de Prático de Escritório começou com oito alunos e o de Balconista com 24 aprendizes. Ao mesmo tempo foram concedidas 90 bolsas de estudo aos melhores alunos das escolas técnicas de comércio do primeiro semestre de 1947. A primeira sede do Senac foi estabelecida em 19 de julho de 1947 e funcionava como delegacia estadual, no Edifício João Prosdócimo, na Praça Tiradentes, bem perto do marco da Capital do Paraná.

Estar na vanguarda da educação para o comércio sempre foi um ideal buscado pelo Senac Paraná. Em 19 de agosto de 1948 foi instalado o Escritório Modelo no edifício do Sindicato dos Empregados no Comércio, em Curitiba. O objetivo era o de ministrar cursos práticos, como Especialização para Contabilistas e Praticagem em Serviços de Escritório, além de analisar metodologias novas para elaborar programas eficientes.

O sonho dos alunos, na época, não era diferente dos atuais. Era terminar os cursos e ter novas e melhores oportunidades de trabalho. Em 21 de dezembro de 1948 foram entregues os certificados às primeiras turmas. Em seguida, começaram a ser realizados cursos para os comerciários nas cidades de Paranaguá, Irati, Londrina e Cambará.

Primeiro curso no Brasil para formar cabeleireiros foi no Senac do Paraná

Curso do Senac forma profissionais para a área de beleza.                                                                                      Foto: Bruno Tadashi

O Senac do Paraná foi pioneiro no Brasil na formação de profissionais para salões de beleza. O primeiro curso de cabeleireiro profissional foi em Curitiba e a solenidade de instalação ocorreu no dia 28 de abril de 1960. Desde então quase 3 mil paranaenses foram qualificados e colocados no mercado, seja através da abertura do seu próprio salão de beleza ou como empregados.

Entre os objetivos do curso de cabeleireiro profissional do Senac estão a análise e a conceito do formato do rosto e tipos de cabelo; o domínio de técnicas de higiene; atendimento ao cliente e ética profissional, além de procedimentos realizados em um salão de beleza, como corte, escova, coloração, penteados, entre outros.

Entre os requesitos para participar do curso estão a idade mínima de 16 anos e ensino fundamental completo.

55% dos paranaenses participaram de cursos no Senac

O Senac traz em seu DNA a palavra aprendizagem.                                                                                                        Foto: Ivo Lima

Nestes 75 anos de atuação, 6.028.682 pessoas participaram de cursos do Senac em todo o Paraná. Isso significa que 55% dos habitantes do Paraná fizeram algum curso no Senac.

Segundo levantamento do Senac Paraná, dos 516 cursos ofertados nos últimos cinco anos, os dez com maior participação de alunos foram: Excel – Recursos Básicos; Oratória; Qualidade no Atendimento ao Cliente; Boas Práticas na Manipulação de Alimentos; Modelagem, e Henna para Sobrancelhas; Exel – Recursos Avançados; Design de Sobrancelhas; Básico em Manicure e Pedicure; Aprendizagem em serviços de supermercados e Alongamento de Cílios.

O próprio nome do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial traz em seu DNA a palavra aprendizagem. Esse é o principal objetivo do Senac que, ao longo de sua história, vem ofertando cursos de aprendizagem, visando atender as necessidades dos alunos, do mundo do trabalho e da sociedade de maneira geral.

E para acompanhar a evolução, muitos cursos foram criados e outros tiveram que ser aperfeiçoados. Quarenta anos atrás, por exemplo, os cursos de cozinheiro eram voltados para a baixa renda e a maioria dos restaurantes, na época, exigia que a qualificação fosse feita no Senac. Atualmente, a área de gastronomia atende um novo público, e os cursos foram se aperfeiçoando. Só na área de alimentos, o Senac oferece mais de 20 cursos.

Programa de gratuidade já beneficiou quase 270 mil paranaenses de baixa renda

Para transformar-se em uma instituição inclusiva, a Fecomércio do Paraná intensificou os investimentos. 

A inclusão social e o acesso à educação profissional são itens considerados prioritários pela diretoria do Senac. O Programa Senac de Gratuidade (PSG) vem oportunizando um futuro melhor para milhares de pessoas. Nos últimos 14 anos, o programa já beneficiou mais de 269 mil alunos paranaenses.

Somente no ano de 2022, foram investidos R$ 101,5 milhões, em 42.510 matrículas em cursos de todo o Paraná.

Firmado em 22 de julho de 2008 entre o Ministério da Educação, o Ministério do Trabalho, o Ministério da Fazenda, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e o Senac, e ratificado pelo Decreto nº 6.633, de 5 de novembro de 2008, o Programa Senac de Gratuidade (PSG) tem por objetivo garantir o acesso à educação profissional de qualidade para pessoas cuja renda familiar mensal per capita não ultrapasse dois salários mínimos.

Pelo acordo celebrado, o Senac investe, desde 2014, 66,67% de sua Receita Líquida de Contribuição nesse importante programa de educação inclusiva.

Segundo informa o Senac Paraná, para responder ao desafio da equidade social e transformar-se em uma instituição inclusiva, a instituição intensificou o investimento visando uma mudança cultural e à inclusão no mundo do trabalho, adotando estratégias que pressupõem a participação ativa das pessoas com deficiência. Em todo o Paraná foram entregues audiobooks para alunos cegos e material didático ampliado aos estudantes de baixa visão.

Para a realização de um trabalho de qualidade, que atenda realmente às necessidades das pessoas com deficiência no Estado, o Senac apresenta acessibilidade arquitetônica, comunicacional e informacional, repensando suas metodologias e práticas pedagógicas.

O Senac também tem fechado algumas parcerias de sucesso no Paraná. Com o Sesc estão em vigor as parcerias Idiomas, com a oferta de cursos de língua inglesa e espanhola destinados ao público que se beneficia do Programa de Comprometimento e Gratuidade do Sesc, e Espaço Conexão, que visa promover a inclusão digital, o desenvolvimento e bem-estar dos trabalhadores do comércio e de seu círculo familiar.

Outra parceria foi firmada com o Colégio São José através da Instituição Bom Jesus, de Curitiba, para atender alunos do ensino médio de escolas públicas. O programa, que teve início em 2009, apresenta um modelo educativo diferenciado em que a educação e empregabilidade caminham de mãos dadas, desenvolvendo talentos. Além de capacitar jovens para o mundo do trabalho, o programa contribui para a formação de cidadãos críticos, criativos e inovadores.

O Senac/PR também tem desde 2010 uma parceria com a Fundação Weiss Scarpa, de Pinhais, que visa ofertar cursos de qualificação profissional por meio do Programa Senac de Gratuidade.

Desde a sua criação o Senac vem transformando vidas por meio do Programa de Aprendizagem Profissional Comercial em parceria com as empresas do setor do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Assim, os jovens na faixa dos 14 aos 24 anos têm oportunidade de realizar cursos gratuitos e dar os primeiros passos no mercado de trabalho.

Acompanhe aqui o passo a passo para se inscrever no PSG.

Ensino a Distância é ofertado pelo Senac desde 1947

Quer saber? Senac EAD!

Quem pensa que a Educação a Distância é algo dos tempos atuais e da tecnologia moderna está enganado. O Senac Paraná oferta cursos a distância desde 1947. No início, essa modalidade de ensino era feita por meio da Universidade do Ar (Unar), que transmitia as aulas através de programas de rádio. A Unar funcionou por 15 anos oferecendo oportunidades de desenvolvimento educacional e social a um grande número de pessoas em todo o País. Até o surgimento da internet, por muitos anos, os cursos a distância do Senac eram por correspondência.

Desde 2004 a Educação a Distância do Senac do Paraná vem cumprindo a missão de levar o ensino profissional a todos os lugares. Ao longo desses anos foram realizadas mais de 60 mil matrículas em cursos com a qualidade da marca Senac.

A partir de 2006, a Educação a Distância do Senac/PR se integrou à Rede EAD Nacional para a oferta de cursos de pós-graduação, ampliando seu mercado de atuação. Nesse período, o Senac Paraná iniciou também as suas atividades com a educação corporativa, consultoria e produção de cursos. Em 2012, com o propósito de inovar e democratizar a educação profissional, foram lançados os cursos Webtv utilizando vídeo-aulas transmitidas via streaming, como principal recurso pedagógico.

Um ano depois foi constituída a Rede Nacional de Educação a Distância Senac. Até então, cada estado ofertava os cursos a distância que queria. Com a criação da rede e a constituição de quatro departamentos regionais, do qual o Senac do Paraná faz parte ao lado dos Senac de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a massa de cursos foi dividida. Com isso, não há mais concorrência entre os Senac de todo o País, mas sim uma convergência de esforços visando fortalecer a marca. Também financeiramente ficou mais viável.

Primeiro restaurante-escola do Brasil é do Senac Paraná

As empresas pedagógicas ou empresas-escola foram criadas para revolucionar o ensino no Brasil. Abertas ao público no final da década de 50, vendiam produtos e serviços propiciando a vivência de uma empresa real. A primeira delas foi uma loja-escola em Minas Gerais, logo depois a loja-escola de Curitiba.

Foi em 1962 que o Senac Paraná inaugurou o primeiro restaurante-escola do Brasil. Com o foco de formar pessoal especializado para a área hoteleira, o restaurante-escola de Curitiba é pioneiro. Funcionou primeiramente em caráter experimental nas dependências do Clube do Comércio. Esta fase serviu de subsídio para o estudo da estruturação do curso. Posteriormente, foi constituída do exercício das técnicas profissionais em contato direto com o público, sob orientação de instrutores especializados.

O curso contemplava técnicas profissionais de serviços de cozinha, bar, recepção, ornamentação e etiqueta, além de atividades de garçom. Como parte dos alunos ainda não havia concluído o curso primário, havia também aula de caligrafia, cálculo, higiene e relações humanas.

A inauguração ocorreu no dia 2 de fevereiro de 1962 marcando o início de um curso altamente qualificado. Muitas conquistas ocorreram de lá para cá. O restaurante-escola do Senac é indicado nos principais guias de gastronomia do País como um dos melhores restaurantes de Curitiba. Pela qualidade e seus pratos e serviços alcançou um nível de reconhecimento que passou a ser referência também aos turistas que visitam Curitiba.

IFPD é o caçula do Sistema Fecomércio no Paraná

O Instituto tem um programa de estagiários para as empresas paranaenses.                         Foto: Fecomércio/Divulgação

O Instituto Fecomércio de Pesquisa e Desenvolvimento (IFPD) é a mais nova instituição a fazer parte do Sistema Fecomércio do Paraná. Criado em fevereiro de 2012, tem como objetivo promover e desenvolver ações de natureza educacional, tanto na área de pesquisa quanto na coordenação de programas de estágio. Sem fins lucrativos, o IFPD oferece ao empresariado do comércio paranaense novos mecanismos para balizar as atividades do comércio, por meio de seminários, simpósios, pesquisas sócio-econômicas, entre outros.

A instituição também contribui para o desenvolvimento pessoal e profissional do estudante por meio de estágios, aumentando as habilidades, formação e capacidade de atuação nos diversos desafios do mercado de trabalho. Desta forma, tem como função identificar e cadastrar estudantes, assim como divulgar oportunidades de estágio das empresas cadastradas. Podem se candidatar a estágios os estudantes com idade igual ou superior a 16 anos, regularmente matriculados e frequentando cursos do Ensino Médio, Educação Profissional de Nível Médio (pós-médio), Educação Profissional de Nível Superior (tecnologia), Educação Superior e Educação Especial.

 

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Um comentário em “Fecomércio-PR chega aos 75 anos apoiando um setor que responde por 63% do PIB paranaense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *