Empresas de cartões apostam em produtos personalizados

Empresas de cartões apostam em produtos personalizados

Tecnologia financeira permite adaptar o produto às necessidades dos consumidores

A abundância de informações financeiras disponíveis atualmente permite que emissores personalizem produtos para públicos segmentados com distintas propostas de valor. Empresas apostam na oferta de diferentes tipos de cartão, cada vez mais personalizados e modulares de acordo com as necessidades de cada cliente. Algumas produzem cartões específicos para determinados públicos; outras adaptam o produto para atender às demandas de diferentes categorias profissionais.

Dados financeiros justificam a atenção dada a essa modalidade de pagamento. No primeiro trimestre deste ano, foram movimentados R$ 965 bilhões com cartões, um aumento de 11% em relação ao mesmo período de 2023. O campeão de uso foi o cartão de crédito, que transacionou R$ 635 bilhões. Os dados são da Associação Brasileira de Empresas de Cartões (Abecs).

As novas tecnologias em nuvem possibilitam que os emissores de cartão de crédito criem novos casos de usos. A Pomelo, provedora de tecnologia para emissão e processamento de cartões, fornece uma plataforma com informações detalhadas sobre cada transação: onde e quando o cartão foi utilizado, de forma física ou digital, entre outras. Isso permite ao emissor conhecer os hábitos de uso de cada cliente e criar serviços específicos para ele.

O country manager da Pomelo no Brasil, Rafael Goulart (foto), exemplifica com motoristas de aplicativo. Segundo ele, é possível criar cartões com condições especiais de vencimento e fatura para esses profissionais, que recebem repasses semanais das plataformas. “O cartão é um dos produtos mais modernos e com maior disponibilidade de tecnologia do mercado. Hoje, graças à nossa plataforma em nuvem, conseguimos entrar na era da personalização, oferecendo algo além do óbvio para os consumidores”, afirma.

Além disso, o cartão é um propulsor para as inovações financeiras. Exemplo disso é o pagamento por aproximação, feature que ganhou popularidade nos últimos anos e agora será adaptado para o Pix, segundo o Banco Central.

Até mesmo bancos tradicionais conseguem testar novos produtos adaptáveis, com o auxílio de incubadoras de tecnologia como a Pomelo. Essas instituições têm infraestrutura sobrecarregada e contratam fintechs para rodar testes de novos cartões para seus clientes. Ao final, se o experimento é bem sucedido, o banco incorpora para si a estrutura criada internamente pela incubadora contratada.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *