O que as micro e pequenas empresas devem fazer para exportar

exportacao.jpgMicro e pequenas empresas veem no momento de exportar seu maior desafio. Segundo o Sebrae, as exportações destas companhias representaram R$ 1,8 bilhão na balança comercial no último ano. Porém, para internacionalizar sua marca, é necessário que o empreendedor esteja preparado e conheça os mercados para os quais deseja inserir sua marca. Segundo Alfredo Novais, diretor da ABN8 Trading, empresa especializada em comércio exterior, a exportação é uma operação complexa e pode trazer prejuízos a quem não é especialista no assunto: “uma falha simples, como se esquecer de incluir um documento, pode comprometer todo o trabalho feito para alcançar um novo mercado”, explica.

Além do conhecimento sobre o processo de exportação, o especialista destaca também a importá¢ncia de conhecer os costumes de cada país. “በprimordial saber se seu produto terá demanda em outro país. Se for necessário, adapte-o”, completa. Novais dá sete dicas para pequenas e médias empresas terem destaque no mercado externo:

1)    Atenção á s leis brasileiras e á s de cada país: fique atento aos procedimentos e normas brasileiras, que são bastante complexas para exportar. Mas, principalmente, conheça as leis do país para o qual você irá exportar. Um pequeno erro pode comprometer a operação e gerar um alto prejuízo.

2)    Tenha capital para isso: sua empresa possui capital para esta operação? Se sim, calcule também o risco envolvido no processo e, a partir disso, verifique se a exportação é viável;

3)     Fique atento á s barreiras comerciais: muitos países impõem barreiras comerciais para a entrada de determinados produtos. Estude o mercado para checar a viabilidade da operação se o local de destino adotar medidas protecionistas;

4)     Pesquise o mercado internacional: Verifique e avalie quem são seus concorrentes externos ou mesmo internos que realizam a mesma operação. Será que há espaço para a sua empresa no mercado que deseja entrar?

5)     Conheça a cultura de cada país: além da legislação e burocracia de cada país, é importante conhecer os costumes locais e o padrão de renda em um novo mercado. Em alguns casos, é necessário adaptar o produto para ganhar espaço e/ou suprir a demanda;

6)     Logística: verifique onde sua mercadoria vai embarcar e desembarcar, o valor do frete e não se esqueça de fazer o seguro para o transporte da carga;

7)    Tenha alguém para auxiliá-lo: Se não tiver um departamento responsável pelo processo, contrate uma empresa especializada nisso. Afinal, o empreendedor precisa pensar em várias outras coisas para que o negócio cresça.

Soma

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *