Alternativas de negócios promissores para empreender em 2016

Os food trucks aparecem como uma boa opção para empreender em 2016.
Os food trucks aparecem como uma boa opção para empreender em 2016.

Montar um negócio próprio é um grande desafio para qualquer pessoa, afinal  de contas é necessário começar do zero e trabalhar duro para que o empreendimento  se transforme em uma realidade de sucesso. 2015 foi um no difícil, mais de dez milhões de trabalhadores brasileiros perderam seus empregos. Só no mês passado, quase 550 mil chefes de famílias estavam desempregados nas seis principais regiões metropolitanas do País.

Com dificuldade de conseguir um novo emprego, tem muita gente interessada em abrir um negócio no próximo ano. Mas, antes de qualquer coisa, é preciso estudar bem o mercado para escolher uma opção de negócio que seja promissora e dominar o setor. Ou seja, de nada adianta montar um negócio que está em alta, se o empreendedor  não tem aptidão para administrá-lo.

Para 2016 existem algumas áreas que estão sendo consideradas promissoras para empreender. Por exemplo: os serviços de food trucks.  Comer na rua é uma alternativa muito comum entre as pessoas que têm pressa e que não têm muito dinheiro. Alguns economistas estimam que os food trucks tenham um potencial de crescimento de 3,7% para o próximo ano e uma margem de lucro de 26%. Agora, para trabalhar com um caminhão de comida, o empresário tem que entender de culinária e de administração. Neste empreendimento, pode-se vender desde cachorro-quente até refeições completas. A vantagem deste negócio é poder levá-lo para qualquer lugar, o que permite faturar em diferentes regiões. Outro ponto positivo e que tem levado a maior parte dos empresários a aderir a essa área, é a inexistência de encargos com aluguel.

A Internet é outro tipo de negócio considerado promissor para empreender não só em 2016, como nos próximos cinco anos. Os serviços que mais crescem na internet estão relacionados ao desenvolvimento de novas tecnologias e aplicativos para smartphones e computadores. Também a venda de música online é um grande potencial desta categoria. A estimativa de crescimento dos negócios na internet é de 9,9% para 2016. Para criar um negócio online, o empreendedor tem que ter uma boa ideia e conhecer as ferramentas para colocá-la em prática. Algumas das opções mais promissoras para trabalhar na internet são as vendas em redes sociais, lojas de comércio eletrônico, além de leilões virtuais.

Por último, outra possibilidade de negócio promissor para 2016 é prestar consultorias, cujo crescimento esperado é de 4,2%. Neste ramo de atividade, dá para se  faturar de R$ 5 mil  a R$ 20 mil por empresa  atendida. Os negócios relacionados à prestação de consultoria estão em alta porque as empresas buscam diminuir os seus custos e melhorar os seus processos, objetivando o lucro sem exceder os recursos financeiros. A área de recursos humanos é uma das principais opções de consultoria para trabalhar, já que muitas empresas estão terceirizando este serviço. Para montar um negócio nessa área, o empreendedor precisa ter formação em recursos humanos, fazer palestras, ter mais um funcionário qualificado e disponibilidade para atender as corporações.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *