You are here
Home > Empresa > John Deere Florestal comemora 20 anos no Brasil

John Deere Florestal comemora 20 anos no Brasil

john-deereA John Deere Florestal completa duas décadas de atuação no mercado brasileiro e celebra sua parceria de sucesso com os clientes. A companhia, que tem a inovação e alta tecnologia em seu DNA, é a única empresa a oferecer equipamentos e soluções completas para todas as etapas e atividades da operação de colheita florestal. “Temos uma sólida estratégia de longo prazo para o Brasil, com confiança no desenvolvimento socioeconômico do País. Tudo isso passa pela valorização do setor florestal, que gera uma robusta movimentação econômica e ainda preserva e respeita o meio ambiente, ou seja, um segmento importante para a sociedade”, diz Roberto Marques, diretor de Vendas da John Deere Construção e Florestal.

O executivo explica que o segmento possui ainda um franco potencial de crescimento, com possibilidade de aumento de área, passando dos atuais 7,7 milhões de hectares plantados para 9 milhões de hectares até 2020. “O Brasil é um mercado estratégico para o segmento florestal, que hoje agrega possibilidades de desenvolvimento em ramos diversos, que compreendem o plantio de árvores para a produção de celulose, papel, painéis industrializados, carvão vegetal e madeira serrada, oriundos exclusivamente de florestas plantadas”, ressalta o executivo.

Em 1999 a John Deere adquiriu a norte americana Timberjack (empresa criada em 1940) e somou a experiência e liderança no segmento da Timberjack com a expertise de inovação e alta tecnologia da marca John Deere.

Ao celebrar 20 anos no Brasil, a empresa aborda o futuro com otimismo. “A expectativa é que, nos próximos anos, a gente consiga aumentar ainda mais a tecnologia embarcada, para que haja mais automação no processo, de forma que o usuário possa acompanhar em tempo real onde a máquina está, o quanto está produzindo e sua necessidade de manutenção, tal como o comando de um carro de alta performance, como vemos hoje na Fórmula 1”, cita Thiago Cibim, gerente Geral de Operações da divisão Florestal da John Deere.

O Brasil possui as condições necessárias para o desenvolvimento da atividade, como solo em abundância, condições climáticas favoráveis, tecnologia para a silvicultura e sustentabilidade, resultando em e ciclos de curta rotação – além de um Código Florestal atualizado. “Para cada etapa do processo de colheita florestal, a John Deere fornece soluções baseadas na proposta de valor de produtividade, disponibilidade e baixos custos operacionais”, explica Cibim.

Com uma linha revolucionária, a companhia lançou em 2015 uma série de Feller Bunchers e Harversters de Esteira – chamada de Série M – e uma nova linha de Skidders e Feller Buncher de Pneus, da Série L. As novas séries redefinem os significados de disponibilidade, produtividade e baixos custos operacionais diários.

Dentro do portfólio, a John Deere oferece equipamentos para os sistemas de colheita Full-Tree (árvore inteira) e Cut-to-length (corte no tamanho), além de escavadeiras hidráulicas para as operações de corte, processamento, traçamento e carregamento de madeira, bem como cabeçotes processadores e soluções para picagem de campo.

O Brasil é estratégico em diversos setores produtivos e de infraestrutura, como na agricultura, no setor de construção e também no segmento florestal. Por isso a John Deere investe continuamente no País nestes três segmentos, contribuindo para a produção de alimentos e também para o avanço da infraestrutura e no desenvolvimento de fontes de energia.

Com um investimento médio diário de US$ 4 milhões em todo o mundo para pesquisa e desenvolvimento, a John Deere oferece para seus clientes o que há de mais moderno e de alta tecnologia, produtos de alta qualidade e eficácia, pacotes de serviços diferenciados e pós-vendas de excelência.

E para elevar a eficiência das máquinas e operações florestais, a companhia possui ainda o John Deere ForestSight, tecnologia que ajuda a otimizar as máquinas, aumentar o tempo de atividade e a dinâmica de trabalho, e que conta ainda com todo o suporte do distribuidor para que o silvicultor possa superar todos os desafios.

O ForestSight integra os dados da máquina, prognósticos e ferramentas de diagnóstico com o suporte do distribuidor e disponibilidade de peças para maximizar o tempo de funcionamento do equipamento. Diferentes pacotes integrados de solução de peças e serviços atendem às necessidades únicas das suas aplicações específicas.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top