You are here
Home > Sem categoria > Atelier de moda festa chega à região de Curitiba

Atelier de moda festa chega à região de Curitiba

Na contramão da tradição empresarial, em que empreendimentos consolidados na capital seguem estrategicamente para o interior, o Atelier Eliza, tradicional espaço especializado em moda festa de Pato Branco, Sudoeste do Paraná, abre sua primeira filial na região de Curitiba. O objetivo é ser uma nova opção em venda e locação de trajes sociais, com diferencial de design fashion e exclusivo, conectado às tendências da moda, e de modelos personalizados com acabamento artesanal. O atelier, localizado na região central de São José dos Pinhais, também aposta no atendimento exclusivo para atrair o público.

A intenção não é focar apenas no município, mas nas demais cidades do entorno e na capital. “Com esta primeira unidade fora do sudoeste queremos nos aproximar do consumidor local, entender seu perfil de consumo e, futuramente, ganhar espaço também em Curitiba, sendo uma nova opção no segmento de festas”, adianta André Rucinski, diretor administrativo do Atelier Eliza.
O processo de expansão da marca começou em 2015, quando a terceira geração de gestores da empresa, que está há 34 anos no mercado e tem origem familiar, assumiu a administração dos negócios. “Revisamos todo o planejamento estratégico com uma visão 360 graus. Promovemos uma reestruturação geral na comunicação visual, na imagem, na gestão e traçamos um projeto ousado de expansão porque percebemos que tínhamos potencial para crescer”, conta.

O primeiro alvo da expansão foi o de locação de trajes com mais de três anos de lançamento. Uma tendência evidente para quem hoje convive com orçamento cada vez mais apertado. “Em meados de 2016, auge da crise econômica, vimos neste nicho de mercado uma boa oportunidade para crescer. Inauguramos o Outlet Atelier Eliza para atrair consumidores que procuram opções de qualidade no segmento de moda festa, porém, com preço mais acessível”, justifica. “O impacto financeiro desta nova modalidade de negócios já representa 7% do faturamento total do grupo”, completa.

Ano passado, foi inaugurada a Handmade by Atelier Eliza. “Identificamos a necessidade de uma loja especializada no segmento de moda casual chique, focada no público que busca peças exclusivas e sofisticadas para compor o guarda-roupa, e que não é foco da indústria do vestuário de larga escala”, explica Rucinski.

A chegada a São José dos Pinhais é a terceira etapa do plano de expansão, que também está de olho no mercado de Santa Catarina. Hoje as três unidades da empresa no sudoeste do Paraná atendem consumidores de Pato Branco e de mais 40 municípios do entorno, incluindo clientes de Santa Catarina e de outras regiões do Estado. “Cerca de 70% do nosso público não é daqui. Com esta informação, passamos a sondar outros mercados potenciais para expandir os negócios. Chapecó, no oeste catarinense, e Curitiba são os alvos prioritários”, adianta.

Conceito e estrutura

A matriz de Pato Branco está sediada em um imóvel de quatro andares, localizado em região privilegiada da cidade. Um para recepção e atendimento aos clientes, outro para exposição da linha social e o terceiro específico para casamentos, com opções para noivas, madrinhas, noivos, damas e pajens. Um espaço amplo foi criado para acomodar o time de 30 colaboradoras que trabalha na confecção dos trajes.

O volume atual é de 600 vestidos produzidos por ano. Com a produção para a Handmade, o número sobe para 1.000 peças anuais. “Nosso foco é qualidade e não quantidade. Um vestido bem elaborado, como o de noiva, por exemplo, pode levar até 90 dias para ficar pronto. Já peças industrializadas produzidas em larga escala são finalizadas em poucas horas”, compara Rucinski.

Outro diferencial competitivo da marca é que os produtos comercializados nas lojas são únicos e personalizados. “Não repetimos modelos e só utilizamos insumos de primeira linha. Mantemos um time de cinco estilistas, que está sempre atualizado com as tendências da moda, tendo como referência o que está em voga nas passarelas internacionais”, destaca.

A marca também segmenta os figurinos para atender mais pessoas de diferentes perfis. Há opções para noivas, madrinhas, formandas e debutantes; para o público teen, com modelos mais curtos, coloridos e ajustados; e diversos looks plus size. “Cuidamos dos detalhes. Todo o acabamento é feito à mão, o que agrega valor às peças”, garante.

Um balanço preliminar da unidade são-joseense confirma a boa fase e traz um novo ânimo para as pretensões de crescimento da marca. “Temos uma equipe dinâmica e proativa que tem alcançado bons resultados em vendas. Também estamos em processo de aprimoramento de gestão, em parceria com o Sebrae/PR, para nos tornarmos uma franqueadora e aí acelerar o projeto de expansão de nossa empresa”, conclui.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top