You are here
Home > Finanças > Conheça os riscos econômicos em orçamentos de condomínios

Conheça os riscos econômicos em orçamentos de condomínios

Carlos Berzoti: nos cálculos, a inflação não pode ser esquecida.

Administrar contas em um condomínio é uma tarefa que cabe a alguém familiarizado com o tema. Muitas vezes os condôminos tentam interferir e fazer sugestões que podem comprometer todo o orçamento que deve ser organizado minuciosamente. Carlos Berzoti, palestrante e especialista em mercado imobiliário, esclarece quais são os riscos econômicos em condomínios e como evitá-los.

É importante saber como o orçamento anual é planejado: normalmente é realizada uma Assembleia Geral Ordinária, que deve contar com a participação da maioria dos moradores para que haja consenso a respeito dos valores referentes a taxa de condomínio. O cálculo vai levar em consideração coisas como restaurações, manutenções, decorações para determinados períodos do ano, possíveis valores referentes a cotas condominiais por parte de inadimplentes, recursos humanos e despesas imprevistas. “Também é necessário prever a inflação e, nesse caso, adotamos as expectativas do mercado, normalmente considerando-se a variação do IGPM, pois esse é o índice que corrige quase que 100% dos contratos”, Berzoti explica.

Nestes quesitos, o maior risco é errar algum número ou deixar de importar algum gasto recorrente. Aprovar um valor menor do que o necessário para o ano pode comprometer meses, fazendo com que os condôminos tenham que desembolsar o restante dos valores.

Outro fator que pode gerar gastos extraordinários são ações trabalhistas envolvendo funcionários do condomínio. No geral, os pagamentos de salários e tributos são feitos de forma correta, mas o especialista alerta para os casos em que os funcionários vêm de alguma empresa terceirizada. “Se a empresa contratada vier a falir, o condomínio deverá arcar com os custos de demissões, pois ele é corresponsável no processo pelo pagamento. Nesse caso o prejuízo será grande e será preciso a realização de uma assembleia extraordinária para se arrecadar fundos para essa finalidade”, o especialista informa.

Já se um condômino decidir processar o condomínio e ganhar a ação, o valor pode ser retirado do Fundo de Reserva para a realização do pagamento, uma vez que é um gasto emergencial. Ainda assim, uma reunião deverá ser feita para validar o movimento do Fundo de Reserva.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top