Tecnologia e logística 4.0 são focos da Cargolift para os próximos meses

Tecnologia e logística 4.0 são focos da Cargolift para os próximos meses

A tecnologia é uma grande aliada para o crescimento organizacional. A partir do conceito indústria 4.0, nasceu a logística 4.0, uma evolução dos processos tradicionais que tem como premissa o investimento em novas ferramentas voltadas para o ganho de eficiência, agilidade e redução de custos. Em conformidade com as tendências do mercado e sempre à frente do seu tempo, a Cargolift vem vivendo um momento de disrupções e inovações, tendo como macro diretriz o seu desenvolvimento em escala global.

Por isso, no início do semestre, data em que completou 24 anos de mercado, a companhia paranaense esteve em missão no Vale do Silício, EUA, conhecido como um pólo mundial de inovações. De acordo com o Partner da área de Tecnologia da informação da Cargolift, Rodrigo Favero, um dos grandes aprendizados da experiência foi sobre implantação da cultura da inovação.”O principal conhecimento adquirido é de como criar um ecossistema de inovação, quanto mais você compartilhar mais terá condições de acertar no desenvolvimento de seu produto”.

Da mesma forma que a logística 4.0 trabalha, as empresas que surgiram no Vale do Silício, como a Apple, Google, Facebook, Intel, HP, Sales Force, eBay, etc, têm como foco construir produtos com os clientes. “Antigamente a indústria construía um produto e depois tentava empurrá-lo aos consumidores. No Vale essa lógica é inversa. O foco está nas necessidades das pessoas e não no produto em si. É o produto que deve se adequar ao consumidor e não o contrário”, diz Favero.

De maneira geral, pode-se dizer que isso se torna possível graças ao uso de diversas soluções. Entre as principais: Cloudcomputing; Big data; Internet das coisas; Inteligência artificial; Digital twin e Machinelearning

“Os benefícios de investir em tecnologias é que utilizando big data, machinelearning, internet das coisas e cloudcomputing, por exemplo, as pessoas possuem ferramentas para tomar decisões importantes como, definições de novas rotas, mitigar o tempo de resposta para incidentes, áreas de atuação em que se está deixando a desejar e outras decisões que são tomadas de forma reativa, passa-se a tomá-las de forma pró-ativa”, explica o CEO da Cargolfit, Markenson Marques.

Ele aponta também que com a melhora na análise de dados é possível ter maior foco na estratégia de negócios, obtendo redução de custos por meio de redução de perdas, otimização dos processos de transporte, desburocratização dos processos e aumento da produtividade.

Tendo em vista essa premissa, a Cargolift está se preparando para utilizar inteligência artificial em parte dos seus processos operacionais e com isso aumentar a eficácia, acuracidade e a segurança nas demandas. Para isso, ainda neste semestre será criada a empresa de Tecnologia da Informação (TI) com foco em desenvolver e aprimorar soluções para os processos de Supply Chain Management(SCM), além de investimento em Startups. “A Cargolift passará a também desenvolver e vender soluções tecnológicas para o mercado”, afirma o Diretor Financeiro da Cargolift, Rafael Mansur.

A empresa tem ainda como foco crescer em rol de serviços, a meta de progresso é de aproximadamente 25% em relação ao ano passado. Além de, segundo Mansur, consolidar a operação da filial em Vinhedo, SP. “Nossa operação em Vinhedo é a principal filial da empresa. Pretendemos estabelecer à operadora utilizando um sistema de Warehouse Management System (WMS) que foi customizado para atender as particularidades do serviço realizado para o nosso cliente FCA”. O diretor destaca também o investimento apenas neste segundo semestre de aproximadamente R$ 1 milhão no desenvolvimento de novas tecnologias objetivando a maior eficácia das operações.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *