You are here
Home > Negócios > Associativismo é uma boa alternativa para micro e pequenas empresas comprarem matéria prima mais barata e se tornarem competitivas

Associativismo é uma boa alternativa para micro e pequenas empresas comprarem matéria prima mais barata e se tornarem competitivas

Aquele velho ditado que diz que no mercado de trabalho todos concorrem com todos, não mais se aplica à realidade atual e está sendo substituído pelo dito popular a união faz a força. Aliás, esta frase se encaixa perfeitamente na definição do que é associativismo, que é uma metodologia aplicável em empresas de qualquer segmento econômico, desde que utilizem a mesma matéria-prima, comercializem os mesmos produtos ou prestem o mesmo tipo de serviço.

Para tal, é necessário um grupo mínimo de empresas que, após estudos de viabilidade econômica, possa suportar os custos de implantação e de manutenção de uma central de negócios, marketing e serviços, apresentando-se, assim, como uma solução inovadora para resolver os problemas das empresas de menor porte.

A verdade é que as pequenas empresas sozinhas não conseguem enfrentar a concorrência das grandes corporações. Por isso, o associativismo surge para fortalecer os pequenos e até mesmo os médios negócios, tornando-os mais competitivos, a fim de elevar o padrão de qualidade de seus produtos e serviços, minimizando custos e possibilitando seu acesso a novos mercados consumidores.

Hoje, o associativismo está presente em maior número no setor de farmácias, minimercados e materiais de construção. Através de uma central de negócios se consegue obter condições mais vantajosas, pois com volume maior de negócios, caem os custos na compra de matéria prima, ajustam-se os prazos de pagamentos, pode-se buscar mais qualidade nos produtos adquiridos e ainda baixar preços, o que permite a expansão das associadas e a conquista de novos clientes. Existe ainda a possibilidade de se estabelecer parcerias com fornecedores, distribuidores, prestadores de serviço, consultorias para recursos humanos, entre outros. Dessa maneira, as empresas podem se qualificar melhor para competir com mais força no mercado.

Um bom exemplo de sucesso do associativismo podemos encontrar no mercado farmacêutico. A Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar), reúne hoje nada menos do que 58 redes de todo pais, que representam quase 10 mil farmácias.

Só no primeiro semestre deste ano o crescimento do faturamento dessas redes foi de 19%, enquanto todo mercado farmacêutico cresceu 12,6% em relação a igual período de 2017. O faturamento dessas lojas nos primeiros seis meses de 2018 ultrapassou a casa de R$6 bilhões.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top