You are here
Home > Economia > Ataque de backdoor afeta indústria de vídeo games

Ataque de backdoor afeta indústria de vídeo games

A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, analisa o caso de desenvolvedores asiáticos de videogames que mais uma vez foram alvos de um ataque na cadeia de suprimentos (conhecido como supply chain attack, em inglês) que espalha malwares em softwares legítimos.

Isso ocorre por meio da instalação de um backdoor, ou seja, os cibercriminosos escapavam das autenticações do software, conseguindo colocar um malware dentro de um sistema legítimo. Os ataques eram vinculados a dois jogos e a um aplicativo de plataforma de vídeo game. O grupo responsável pelo ataque foi identificado em 2011 como “Winnti – Mais do que um simples jogo”.

Embora o malware use configurações diferentes para cada caso, os três softwares afetados incluem o mesmo código de backdoor e foram espalhados usando a mesma máquina. Felizmente, dois dos produtos comprometidos não incluem mais o backdoor. No entanto, o jogo chamado “infestation”, produzido pelos desenvolvedores tailandeses de “Electronics Extreme”, ainda contém o Cavalo de Tróia.

Em levantamento realizado pela ESET, é possível verificar que a maioria das vítimas dos ataques está localizada na Ásia, sendo a Tailândia o país mais afetado. O Brasil também foi atingido, porém, teve poucas vítimas.

Estatísticas de distribuição

O malware é seletivo sobre quais países quer estar. A ameaça verifica se o idioma do sistema é russo ou chinês, em qualquer um desses casos, a ameaça para de ser executada, o que deixa claro que os invasores não estão interessados em computadores configurados com esses idiomas.

Um consumidor dificilmente consegue detectar os ataques nas cadeias de suprimentos. “É por isso que os usuários depositam sua confiança nos fornecedores de software. Talvez seja justamente essa a razão pela qual vários grupos de criminosos cibernéticos visem os desenvolvedores. No entanto, o que os cibercriminosos não levam em conta é que há uma desvantagem em usar essa técnica: uma vez que o esquema é revelado, os atacantes perdem o controle e os computadores podem ser limpos por atualizações regulares”, finaliza Camilo Gutierrez, chefe do Laboratório de Investigação da ESET América Latina.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top