You are here
Home > Agronegócio > Preços Agropecuários mantêm trajetória de alta

Preços Agropecuários mantêm trajetória de alta

Em março, o índice que mede a variação dos preços recebidos pelos produtores paulistas (IqPR) registrou elevação de 3,62%, na comparação com o mês anterior, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA), instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

“Após altas sucessivas, os indicadores apresentaram um arrefecimento entre a terceira e quarta semanas de março, o que indica uma desaceleração que pode estar dando margem para reajustes menores ou mesmo variações negativas para o mês de abril”, explicam Danton Leonel de Camargo Bini e Eder Pinatti, pesquisadores do IEA.

A maioria dos produtos que compõem o IqPR apresentou alta. Destacaram-se nesse intervalo: banana nanica (61,59%), tomate para mesa (59,56%), carne suína (11,26%), carne de frango (9,98%) e ovos (6,34%).

Mesmo com as quedas de seus preços observadas nas últimas duas semanas do mês, a redução da oferta da banana nanica, com o adiantamento da colheita ocasionado pelo calor e as chuvas de fevereiro, levou a uma ascensão dos valores médios recebidos pelos bananicultores do Vale do Ribeira paulista.

No caso do tomate para a mesa produzido no Estado de São Paulo, perdas oriundas das chuvas de fevereiro – que acometeram plantas ainda em formação com a enfermidade ocasionada pelo cancro bacteriano – reduziram ainda mais a oferta do produto, o que gerou uma elevação de quase 60% nos preços médios recebidos pelos produtores.

Já para a carne suína, dois fatores interferiram com robustez no reajuste de seus preços nas granjas paulistas. Maiores escalas de exportação (9% de aumento em comparação com fevereiro) sem reajuste de oferta física de animais, aliadas à valorização cambial de 4,3% do dólar em março, aumentaram a precificação do produto em reais nos numerários recebidos pelos suinocultores do Estado de São Paulo.

No que se refere à carne de frango, os aumentos dos embarques para exportação em 15,4% reduziram a oferta do produto no mercado interno. Numa realidade na qual os principais insumos conformadores dos custos de produção da atividade apresentaram altas pouco expressivas no mês de março, análises preliminares indicam uma melhora pontual na rentabilidade do setor. Reforça esse espectro o fato do frango originar os cortes de carnes mais competitivos no mercado quando comparado às pecuárias bovina e suína.

Fonte de proteína mais popular consumida pela população brasileira, os ovos tiveram seus preços reajustados entre fevereiro e março, principalmente pelo costume católico de reduzir o consumo de carnes no período religioso da quaresma. Contudo, cabe observar que, no comparado com março de 2018, os preços atuais apresentam uma pequena desvalorização de 0,46%.

Dos 19 produtos acompanhados, somente cinco apresentaram quedas de preços no período: Feijão (-11,73%), Café (-3,64%), Arroz (-2,44%), Algodão (-0,31%) e Cana-de-Açúcar (-0,29%).

Acumulados dos últimos 12 meses

No período de abril de 2018 a março deste ano, o IqPR registrou aumento de 21,77%. As maiores altas no período foram: batata (319,84%), feijão (213,32%), tomate para mesa (73,08%), laranja para indústria (36,67%), carne de frango (36,6%), trigo (31,48%), carne suína (31,04%), laranja para mesa (30,52%), banana nanica (26,06%), amendoim (25,33%), leite (19,01%) e arroz (10,21%). Variaram positivamente abaixo do reajuste dos custos de produção: carne bovina (4,52%), cana-de-açúcar (4,09%), milho (4,00%), algodão (1,59%) e soja (1,22%).

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top