You are here
Home > Finanças > Veja os processos para cobrar clientes e evitar prejuízos

Veja os processos para cobrar clientes e evitar prejuízos

Toda empresa precisa receber, entretanto o ato de cobrar dos clientes nunca é interessante, muito menos simples. O correto seria que cada um cumprisse com o que combinou, inclusive com as promessas de pagamentos. Mas, infelizmente perante a um cenário de crise e crescente endividamento da população isso é impossível.

Para os gestores de empresas esses atrasos podem ser desastrosos. Muitos clientes esquecem ou simplesmente decidem não é prioridade o pagamento, assim os problemas se acumulam e o não recebimento pode levar até ao fracasso dos negócios.

Mas como cobrar? Para o advogado especializado na área de cobranças, Gilberto Bento Jr., esse é um trabalho que demanda muito cuidados e planejamento. “Tem que se ter em mente que cada pessoa é de um jeito e temos que ter educação e paciência para cobrar”, explica. Mas, mesmo não sendo interessante e não agradando ninguém, é preciso cobrar, e para isso é preciso ter disciplina, persistência e organização. Gilberto Bento Jr. elenca pontos para uma cobrança de sucesso:

1) Tenha tudo organizado e crie um cronograma de cobranças, saber quando venceu, quanto deve cobrar, qual o valor da multa, dos juros, vincular e desvincular o boleto da cobrança e a nota fiscal da venda ou do serviço prestado.

2) Para um primeiro contato é interessante ligar e mandar e-mail ao cliente em débito já no dia seguinte ao vencimento pedindo ajuda para localizar o pagamento, pois o banco pode ter se confundiu e não conseguiu identificar, peça por favor para ele enviar o comprovante de pagamento.

3) Após 03 dias de vencimento o interessante é ligar para o cliente e perguntar do pagamento, explicando a necessidade em ter o dinheiro por ter compromissos a honrar. Não esqueça de mandar e-mail para reforçar a ligação, cobre do cliente, com delicadeza uma data de pagamento, pergunte se ele pode fazer uma transferência hoje.

4) Após 10 dias da dívida vencida é hora de analisar com a diretoria quais iniciativas de suspensão dos serviços ou cobrança mais enérgica serão tomadas para recuperar os valores.
Administrativamente a dívida vencida após 30 ou 60 dias será cada vez mais difícil de cobrar, então neste momento você deve tentar fazer com o devedor um contrato chamado confissão de dívida, isso irá garantir para sua empresa o direito de cobrar isso no futuro.

5) Na confissão de pagamento, que é um contrato, deve ter assinatura do devedor, da empresa e de duas testemunhas, com datas e identificação das partes. Dá também para estabelecer uma forma de pagamento diferenciada.

6) Eventualmente pode-se perder um pouco do valor principal, dos juros, da multa, mas fique atento para não fazer novos negócios com esse cliente ou qualquer empresa que ele participe, pois esse tipo de devedor força privilégios para pagar o que já deve, distorcendo as obrigações já assumidas.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top