You are here
Home > Trabalho/Emprego > Emprego na construção brasileira cresceu 0,95% em julho e 22.185 postos de trabalho foram criados

Emprego na construção brasileira cresceu 0,95% em julho e 22.185 postos de trabalho foram criados

O nível de emprego na construção civil brasileira registrou variação positiva de 0,95% em julho na comparação com o mês anterior. Foram abertos 22.185 postos de trabalho no período.

No acumulado dos sete primeiros meses de 2019, a variação é de +3,87%, equivalente a 87.912 postos de trabalho. Na comparação dos sete primeiros meses de 2019 com o mesmo período do ano passado, a variação é de +1,17% (26.827 postos de trabalho). Ao final de julho, o setor empregava 2.360.389 trabalhadores em todo o país.

Ao se dessazonalizar* as informações, o emprego na construção civil brasileira teria registrado crescimento de 0,48% em julho (+11.187 postos de trabalho). Os dados são da pesquisa mensal do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) realizada em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do governo federal.

Segundo o presidente do SindusCon-SP, Odair Senra, “embora o crescimento do emprego seja um sinal positivo, o ritmo de recuperação da indústria da construção segue muito lento e uma nova preocupação surgiu quanto à sua sustentabilidade: a drástica diminuição do recursos do Orçamento da União, previstos para o Programa Minha Casa, Minha Vida: de R$ 4,6 bilhões em 2019, para R$ 2,7 bilhões em 2020”.

Lembrando que entre 2011 e 2018 a média anual destinada ao MCMV era de R$ 11,3 bilhões, Senra comentou que, se esta dotação não for restabelecida, haverá sérias repercussões na atividade e na geração de emprego da indústria da construção.

Segmentação

No mês de julho, comparado com o mês anterior, todos os segmentos registraram variação positiva, sendo os mais significativos: Infraestrutura (+1,80%), Preparação de terreno (+1,74%), Outros serviços (+1,39%), Serviços de Engenharia e Arquitetura (+1,23%) e Obras de Instalação (+0,97%).

Nos primeiros sete meses do ano todos os segmentos apresentaram crescimento sendo os mais relevantes: Infraestrutura (+6,10%), Preparação de Terreno (+5,95%), Obras de Instalação (+4,79%) e Engenharia e Arquitetura (+4,42%).

Regiões do Brasil

Em relação às cinco regiões do país, em julho todas apresentaram variação positiva na comparação com o período anterior: Norte (+2,90%), Nordeste (+0,87%), Centro-oeste (+0,37%), Sudeste (1%) e Sul (+0,55%).

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, a região Norte foi a única que apresentou variação negativa de -0,67% (caindo para 128.271 empregados). No mesmo período, as demais regiões registraram: Nordeste, 2,78% (elevando-se para 447.154 empregados), Sudeste 4,58% (elevando-se para 1.204.474 empregados), Sul 4,17% (elevando-se para 390.228 empregados) e Centro-oeste 4,58% (elevando-se para 190.262 empregados).

Estado de São Paulo

O emprego na construção paulista em julho registrou variação de +0,38%, comparado ao mês anterior, resultando em 2.442 novos postos de trabalho. Ao final daquele mês, a construção paulista empregava 643.579 trabalhadores.

Desconsiderando efeitos sazonais, houve um crescimento de 0,18% (+1.148 empregados) no período.
Na comparação do período de janeiro a julho de 2019 com o mesmo período do ano anterior, a variação é de +0,66% (+4.176 empregados). No acumulado do ano, a variação foi positiva em 3,06%, o que totalizou 19.133 trabalhadores.

Em julho, na comparação com o mesmo mês anterior, os segmentos Obras de acabamento e Infraestrutura apresentaram respectivamente as variações negativas: -0,02% e -0,22%. Todos os demais segmentos registraram variações positivas no período, sendo os destaques para Preparação de Terreno (+1,67%), Engenharia e Arquitetura (+1,01%), Outros Serviços (+0,95%) e Imobiliário (+0,50%).

Município de São Paulo

Na capital paulista, que respondeu por 42,59% do total de empregos no setor no estado, houve um crescimento de 0,24% (664 vagas) no mês de julho e de +2,14% (5.740 vagas) no acumulado de janeiro a julho de 2019. A região empregava em julho 274.126 trabalhadores.

As nove regionais do SindusCon-SP registraram as seguintes variações no mês de julho na comparação com junho: Santos (+0,30%, 66 vagas), Santo André (-0,13%, -51 vagas), Campinas (+1,24%, 881 vagas), São José dos Campos (+1,23%, 655 vagas), Presidente Prudente (+0,52%, 38 vagas), Sorocaba (1,26%, 897 vagas), São José do Rio Preto (-1,13%, -282 vagas), Bauru (-1,21%, -385 vagas) e Ribeirão Preto (-0,09%, -41 vagas).

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top