You are here
Home > Economia > Brasileiros passam a investir mais durante a pandemia

Brasileiros passam a investir mais durante a pandemia

Com tantas mudanças que aconteceram em 2020, muitos hábitos dos brasileiros se transformaram, seja eles para limpeza, higiene, consumo e até mesmo financeiro. Com momentos de incertezas provocados pela pandemia da covid-19, os hábitos financeiros tiveram que ser repensados para novas estratégias de como cuidar e aplicar o seu dinheiro. De acordo com a pesquisa realizada pela NZN Intelligence , os brasileiros decidiram apostar em investimentos, coisa ainda pouco explorada no país. Segundo eles, 80% dos entrevistados começaram algum tipo de investimento nesse período.

Com um cenário de investimento em alta, o fator da pandemia foi decisivo para essa iniciativa. Segundo o intelligence, 34% afirmaram que o cenário favorável foi o principal fator para a decisão, enquanto 30% apontaram o consumo de conteúdo relacionado a investimentos como principal motivo.
 
“O aumento no consumo de conteúdo foi nítido durante o isolamento social, as pessoas criaram o hábito de pesquisar mais determinados assuntos, e o investimento foi um deles” conta Alexandre Carvalho, CFO da NZN. A pesquisa realizada comprova que 28% dos entrevistados começaram a investir pela oportunidade de renda extra e segurança. “Mais um dado que revela que a procura por informações e estudos aplicados durante a pandemia manifestou um novo pensamento na população, a busca por renda extra por meio de investimentos”, explica Carvalho.

Motivos

Entre os outros motivos que os levaram a investir durante a pandemia, 34.6% por conta do cenário favorável para investimento e 31.3% por terem maior tempo em casa.

Apesar dessa ser a tendência entre os brasileiros, é necessário saber onde e quanto investir, por isso, a pesquisa e estudo sobre o tema é fundamental para garantir sucesso nessa jornada, isso por existir diversos tipos de investimentos. Com isso, 44% começaram a investir na bolsa de valores, 30.4% CDI ou CDB e 23% no tesouro direto. Já na poupança, 18.9% investiram nessa modalidade.
 
“Os brasileiros começaram a enxergar que existe muito mais do que a poupança para investir seu dinheiro, até mesmo outros meios que apresentam um retorno financeiro muito mais vantajoso. A questão da poupança ainda é válida e muito aplicada por ser mais “tradicional” e de fácil entendimento, além de poder movimentar o dinheiro em qualquer hora e lugar, principalmente pelo acesso rápido a apps bancários”, destaca o executivo.

Ainda de acordo com a pesquisa, 23% dos entrevistados não investiram durante a pandemia, mas pretendem fazê-lo após esse período, 37% devem aplicar na Bolsa de Valores e 33%, em CDI ou CDB.

Além desse hábito que foi adquirido, a tecnologia está cada vez mais inserida nas questões financeiras, dentre elas os aplicativos de bancos. Segundo dados, 59% aumentaram a utilização de apps de bancos durante a pandemia, o que ressalta a consolidação da internet banking entre as pessoas, facilitando o acesso às contas bancárias sem precisar sair de casa.

A fim de compreender os hábitos financeiros dos brasileiros, a NZN desenvolveu um hub de dados para marcas e anunciantes acompanharem os principais números ligados à mudança de hábito dos brasileiros em seus setores. Também é possível que a marca faça levantamentos personalizados com o tema de interesse. A motivação para a construção do Hub Intelligence partiu do objetivo da empresa de trazer dados e informações relevantes para que marcas tenham ainda mais insumos para direcionar seus esforços de comunicação digital e suas campanhas.
Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top