You are here
Home > Finanças > Com intervenções nas estatais, corretora prevê câmbio e juros mais altos e maior deterioração fiscal

Com intervenções nas estatais, corretora prevê câmbio e juros mais altos e maior deterioração fiscal

Após o anúncio de mudança no comando da presidência da Petrobras na última sexta-feira (19) e o medo do mercado de interferência no comando da estatal, com receio de alteração na política preços, todo o cenário da Ativa Investimentos está em revisão. A corretora prevê um câmbio e juros mais elevado, uma eventual maior deterioração fiscal e um PIB mais baixo.

“Ainda que Bolsonaro tenha dito que não irá intervir no preço da Petrobras, o discurso dele torna-se populista quando se vale de uma tentativa de colocar o povo como explorado. Ao afirmar que não vai interferir, e adiciona um “mas”, ele está, logicamente, justificando sua interferência, o que implica em uma incoerência”, explica Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos.

Para Étore, o discurso do Presidente vai além do combustível, se vale de uma lógica intervencionista, que remete a um passado, quando eram cometidas grandes interferências nos comandos e preços das companhias, o que gerava grandes prejuízos para empresa e para a nação. “Não acredito que haverá o represamento de preços, mas todo esse cenário será avaliado com cautela”, diz Sanchez.

Defasagem da gasolina – Na manhã de segunda (22), após rodar o modelo de defasagem, a Ativa Investimentos informa que ainda existe espaço para 6% de elevação no preço da gasolina no modelo de média Petrobras (mais assertivo).

Inflação acima do centro da meta para 2021

A inflação em 2021 avançou pela sétima semana seguida, de 3,62% para 3,82%, ficando pela primeira vez no ano acima do centro da meta de inflação de 3,75%. Para 2022, a inflação permaneceu estável na semana passada. Vale destacar que o boletim Focus que foi publicado nesta segunda (22), nasce desatualizado, uma vez que as estimativas que compõem o relatório são enviadas até as 17 horas da última sexta-feira (antes do Bolsonaro demitir o presidente da Petrobras).

Outro desdobramento da expectativa de inflação acima do centro da meta se deu no âmbito da Selic para o final de 2021, que subiu de 3,75% para 4,00%. As projeções de PIB pioraram de 3,43% para 3,29% em 2021.

“A perspectiva para o IPCA de fevereiro subiu de 0,56% para 0,67% pela sexta semana consecutiva, abaixo da nossa expectativa ajustada para o mês de 0,62%. Na mesma direção, as projeções de fevereiro subiram de 0,30% para 0,38%, próximo ao índice que nós esperamos (de 0,37%). Por último, em abril de 2021 o mercado espera elevação de 0,32% no mês, acima da nossa expectativa para o mês de 0,20%”, explica Guilherme Sousa, economista da Ativa Investimentos.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top