You are here
Home > Negócios > Como faturar com importação sem sair do conforto de sua casa

Como faturar com importação sem sair do conforto de sua casa

Asia Source, rede de franquias de comércio exterior com foco em importações, planeja alcançar um total de 200 unidades até o final de 2021. Fundada em 2019, a marca acumula mais de 14 anos de experiência de seus fundadores na área e tem como propósito democratizar o comércio internacional, possibilitando o acesso de pequenos e médios empresários ao mercado estrangeiro.  

Atualmente, a empresa, originada em Joinville (SC), conta com mais de 150 unidades em todos os estados do Brasil. “Com a falta de insumos no mercado brasileiro durante a pandemia, as empresas passaram a buscar a importação como uma alternativa para os seus negócios”, avalia o fundador da rede, Luis Muller (foto).  

O rápido crescimento da Asia Source, possível pela formatação como rede de franquias e pela expansão feita pela aceleradora de franquias 300 Franchising, possibilitou que a empresa duplicasse o seu faturamento no primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano anterior, na contramão da crise causada pela pandemia da Covid-19.  No ano todo de 2020, a Asia Source movimentou R$ 40 milhões em produtos importados do mercado chinês. Em 2021, até agosto, esse volume já ultrapassa R$ 60 milhões.

As franquias da Asia Source trabalham em um modelo home based, possibilitando que o franqueado atue como ponte entre empresas interessadas em importar produtos e fornecedores do mercado asiático, por meio de um sistema 100% online.  

Segundo Muller, o principal diferencial da Asia Source para os franqueados é a possibilidade de fazer com que eles atuem como consultores de importação sem precisarem conhecer a legislação, falar inglês ou sequer ficar acordados durante a madrugada. “Compartilhamos o nosso conhecimento para que empresários consigam importar de maneira rentável e segura”.  

Meta é abrir 350 unidades até 2024  

No começo de 2020, a consultoria para importações foi parcialmente adquirida pela aceleradora de franquias 300 Franchising, empreendimento liderado pelos irmãos Leandro e Leonardo Castelo, fundadores da rede de franquias Ecoville, Empreendedores do Ano EY e Empreendedores Endeavor, que se tornaram então sócios da marca.  

A sociedade com a aceleradora de franquias possibilitou que a Asia Source expandisse a sua marca através do sistema de franquias, alcançando o resultado de mais de 150 novas unidades em pouco mais de um ano.  

A marca projeta atingir 350 unidades até 2024, alcançando também outros mercados para além do asiático. “Por ser um modelo de negócio replicável, consideramos que em até cinco anos já estaremos operando em outros países além da China, onde já estamos presentes”, afirma Muller.  

Franqueados celebram resultados, apesar da pandemia  

No começo da pandemia, em 2020, o casal Dante Costa Luiz, 39 anos, e Luciana Hamden Coelho, 34 anos, conheceu a Asia Source durante um curso sobre logística internacional. Pouco depois, em maio, a dupla decidiu investir no negócio.  

“De maio a junho [de 2020], fizemos os cursos que a franquia nos proporcionava e estudamos estratégias para conhecer os nossos clientes”, conta Dante. “Uma delas foi procurar empresas e distribuidoras de ramos diferentes para conhecer suas necessidades.”  

Casados há oito anos, Dante e Luciana têm dois filhos e moram em Marabá (PA). Apesar do período difícil para a economia como um todo, o casal está satisfeito com o retorno obtido até o momento. “Uma das maiores qualidades que vimos na franquia é levar aos clientes produtos de qualidade e com baixo custo, aumentando a lucratividade do franqueado, que pode até se tornar um distribuidor”, aponta Dante.  

Em outro extremo do país, em setembro de 2020, Igor Corbari, de 23 anos, tornou-se franqueado da Asia Source em Itapema, no Litoral de Santa Catarina.  

Apesar da pandemia, em poucos meses, o jovem já vem obtendo bons resultados com o empreendimento. “Eu e minha família enfrentamos a incerteza, abrimos a unidade com dinheiro emprestado, por pura confiança no modelo de negócios, e já estamos colhendo os frutos”, comenta.  

O franqueado acredita que o segmento deve crescer ainda mais no período pós-pandemia. “Vislumbramos uma economia cada vez mais aquecida e importações ajudando inúmeros negócios a levantar voo. Queremos estar junto com esses negócios que vão crescer neste momento”, afirma Igor. 

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top