Inteligência Artificial deixa de ser mera tendência e transforma rotinas do e-commerce e varejo

Inteligência Artificial deixa de ser mera tendência e transforma rotinas do e-commerce e varejo

No coração da era digital, testemunhamos uma revolução que molda profundamente o comércio eletrônico e o varejo: a ascensão e consolidação da Inteligência Artificial (IA). À medida que avança a passos largos, a IA se tornou não apenas uma ferramenta, mas o pilar de transformação desses setores, redefinindo a maneira como as empresas operam, interagem com os consumidores e gerenciam seus negócios.

Com projeções otimistas, o mercado global de IA no setor de varejo deverá atingir a impressionante marca de US$ 10,76 bilhões em 2023, conforme prevê uma pesquisa conduzida pela Future Market Insights, com uma notável taxa de crescimento anual estimada em 28%. As expectativas para o cenário futuro são ainda mais ambiciosas, pois se prevê que, até 2033, esse mercado possa superar a marca dos US$ 127 bilhões.

Isso significa que a IA não é mais uma mera tendência, mas sim um elemento fundamental que impulsiona o varejo, aprimorando a eficiência, personalização e inovação em todas as operações e na experiência do cliente. Para Joel Backschat, CIO na multinacional brasileira FCamara, um ecossistema de tecnologia e inovação que potencializa o futuro dos negócios, está claro que aqueles que abraçam essa tecnologia estão preparando seus negócios para um futuro de prosperidade.

“Em um mundo onde a competição é feroz e a atenção do consumidor é escassa, a Inteligência Artificial é como o farol que guia o varejo moderno. Ela não apenas ilumina o caminho, mas também molda a jornada do cliente, tornando-a mais personalizada e cativante”, defende.

O CIO nos conduz a uma exploração de como a IA está mudando de maneira significativa o cenário do e-commerce e varejo.

1. Personalização da experiência do consumidor

Uma das maiores transformações que a IA trouxe para o e-commerce e o varejo é a personalização da experiência do consumidor. Por meio da análise de dados, a IA permite que as empresas entendam o comportamento do cliente, suas preferências e histórico de compras.

“Com essas informações, as empresas podem oferecer recomendações de produtos relevantes e sugerir promoções específicas. Isso não apenas aumenta as vendas, mas também cria uma jornada mais satisfatória para o cliente”, pontua o Backschat.

2. Otimização da precisão logística

A IA é capaz de otimizar a cadeia de suprimentos e logística. Ela é usada para prever demandas, gerenciar estoques com eficiência e otimizar rotas de entrega. Isso resulta em menor desperdício, custos reduzidos e entregas mais rápidas, atendendo às crescentes expectativas dos consumidores em relação à velocidade e confiabilidade das entregas.

3. Atendimento ao cliente 24 horas 

Chatbots e assistentes virtuais baseados em IA já desempenhavam um papel importante no atendimento ao cliente. No entanto, com a evolução da Inteligência Artificial, essas soluções estão se tornando ainda mais eficientes e sofisticadas. Agora, eles não apenas oferecem assistência básica, mas também são capazes de lidar com consultas mais complexas e personalizadas. Eles estão disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, respondendo a perguntas, solucionando problemas mais simples e auxiliando os consumidores em suas jornadas de compra. Isso melhora a eficiência do atendimento e oferece uma experiência mais conveniente para os clientes.

Para a empresa, a automação do atendimento ajuda na classificação dos casos que exigem, de fato, um atendimento mais completo, além de reduzir custos operacionais.

4. Prevenção de fraudes

A IA desempenha um papel crucial na detecção e prevenção de fraudes no comércio eletrônico. Ela pode identificar atividades suspeitas, analisar padrões de compra e autenticar transações com base em uma variedade de fatores, tornando as compras online mais seguras para os consumidores e as empresas.

5. Realidade Aumentada e Virtual

A IA também tem impulsionado a adoção da realidade aumentada (AR) e virtual (VR) no varejo. Essas tecnologias permitem que os consumidores visualizem produtos em ambientes virtuais, experimentem roupas e acessórios, ou até mesmo façam passeios virtuais por lojas. Isso proporciona uma experiência de compra mais envolvente e ajuda os clientes a tomar decisões mais informadas.

“Aqui, a IA consegue unir várias de suas habilidades para aprimorar essas experiências. Ela pode analisar o comportamento e as preferências do cliente, oferecendo recomendações personalizadas e ajudando a otimizar as interações de AR e VR. A IA também pode rastrear o desempenho dessas tecnologias, permitindo que as empresas façam melhorias contínuas para atender às demandas dos consumidores”, conclui o executivo.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *