Demanda por seguros de automóvel sobe 6,88% em maio

Demanda por seguros de automóvel sobe 6,88% em maio

Levantamento da Neurotech revela primeiros impactos da tragédia no Rio Grande do Sul sobre o setor

A demanda do mercado brasileiro de seguros de automóveis registrou, em maio, um crescimento de 6,88%, na comparação com o mesmo mês de 2023. Este cenário consolida a recuperação do setor, sendo o segundo crescimento consecutivo após leve queda em março. Os dados são do Índice Neurotech de Demanda por Seguros (INDS), que mede mensalmente o comportamento e o volume das consultas na plataforma da Neurotech, empresa pioneira em soluções de inteligência artificial aplicadas a seguros e crédito. Já na comparação com o mês anterior, abril de 2024, houve um leve recuo de 0,05%.

Outro reflexo do bom momento vivido pelo setor automotivo é o recente balanço divulgado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Segundo a entidade, o número de emplacamentos de automóveis e veículos comerciais leves cresceu 10,16% em maio, comparado ao mesmo período do ano passado. Porém, foi registrada queda de 11,95% em relação a abril de 2024.

Enchentes no RS impactam setor

Para Daniel Gusson, head comercial de Seguros da Neurotech, essa ligeira queda na comparação mensal pode indicar os primeiros impactos da tragédia no Rio Grande do Sul para o setor, em nível nacional. “O balanço que divulgamos em abril ainda não abrangia as consequências das enchentes, mas elas já eram esperadas nos meses seguintes. Quando analisamos o recorte da demanda por região do País, também observamos o Sul abaixo das demais”, afirma.

De acordo com o INDS, todas as regiões do Brasil apresentaram resultados positivos, sendo o Sul com o crescimento menos significativo, de apenas 0,82% no apanhado anual. Pelo segundo mês consecutivo, a região Norte teve o maior crescimento: 9,54%. Nordeste (+8,76%), Centro-Oeste (+6,25%) e Sudeste (+4,89%) completam o ranking.

Financiamentos crescem

O resultado positivo de maio também mostrou que os  primeiros impactos da tragédia no RS podem ter sido amenizados  pelo aquecimento do mercado de financiamentos. O Sistema Nacional de Gravames (SNG) divulgado pela B3 mostrou que o volume de veículos – novos e usados, de todos os tipos – financiados durante o mês cresceu 15,4% em relação a maio do ano passado. Foram cerca de 77 mil unidades a mais, chegando a 577 mil. Em relação a abril deste ano, quando o financiamento atingiu cerca de 611 mil veículos, houve queda de 5,6%.

Entre os tipos de financiamento adotados em maio, o CDC foi a modalidade com maior representatividade, acumulando 86,3% do total, seguida por consórcios (13%), outras não especificadas (0,5%) e leasing (0,2%). O crescimento do CDC para financiamento de veículos foi de 20,3% frente a maio do ano anterior.

Demanda de seguros por idade

Ainda segundo o INDS, no comparativo entre maio de 2024 e maio de 2023, a demanda por seguros foi maior entre condutores com 60 anos de idade ou mais, que cresceu 7,06%, o que reforça o padrão de maior cautela nessa faixa etária. Os outros percentuais de crescimento em maio foram os seguintes : 40 a 59 anos (+5,09%), 18 a 25 anos (+2,52%) e 25 a 39 anos (+1,79%).

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *