Margem e volume de vendas de carros usados têm queda em maio

Margem e volume de vendas de carros usados têm queda em maio

Tragédia no Rio Grande do Sul provocou queda da rentabilidade do setor

O mercado de veículos usados registrou queda na margem bruta de 11,2% em abril para 10,9% em maio, a menor desde janeiro deste ano. No período, o giro de estoque se manteve em 38 dias, mas o volume de vendas foi impactado pela tragédia ocorrida no Rio Grande do Sul. Os dados são do Estudo Megadealer de Performance de Veículos Usados powered by Auto Avaliar (PVU).

O Rio Grande do Sul apresentou uma rentabilidade bem abaixo dos outros estados devido à tragédia ambiental. Durante o mês, estima-se que o mercado gaúcho deixou de vender mais de 30 mil unidades de carros usados e 6,5 mil novos. Os números estão refletidos nos dados da Fenabrave, que mostram queda nas vendas de usados de 9,1% no país, com 880 mil unidades de carros e comerciais leves comercializados. Dentro da plataforma Auto Avaliar, foram 206.862 veículos avaliados e 36.734 captações pelos concessionários de todo o Brasil, uma leve queda após três meses consecutivos de alta, que também está relacionada à interrupção do mercado gaúcho.

“As redes de concessionárias do Rio Grande do Sul apresentaram rentabilidade em queda, medida pelo ROI – retorno do investimento. O retorno foi de 75%, bem abaixo da média nacional de 104%”, ressalta Fábio Braga, Country Manager da MegaDealer. Ele lembra que, nos próximos meses, é preciso prestar atenção ao comportamento do mercado no Sul para substituição de estoques de usados perdidos nas inundações, gerando reposição oriunda de outros estados. “Temos incerteza sobre o impacto da disponibilidade de estoque de novos, devido à quebra de produção das fábricas afetadas pela falta de peças por questões logísticas, que serão temas relevantes para os próximos meses”, afirma.

Estimativas indicam que entre 5% e 10% da frota total de carros do estado, que soma cerca de 2,8 milhões de veículos, ficou inutilizada. Esse impacto é particularmente significativo, considerando que o Rio Grande do Sul representa 5,5% do mercado brasileiro de vendas de veículos usados. No estado, as 232 concessionárias mapeadas pela plataforma Auto Avaliar, das quais 134 integram o sistema da empresa, tinham um estoque total de 3.850 carros. Em abril, as vendas ao consumidor final somaram 2.857 unidades. No mesmo mês, as concessionárias receberam 17.250 avaliações, representando 6,8% do volume total no Brasil.

Para Braga, os primeiros meses apontam para um 2024 superior a 2023, que fechou com crescimento de 8,6% ante o ano anterior. “Com exceção ao mercado gaúcho, é possível perceber um aumento gradual da convicção dos brasileiros em apostar nos veículos usados de maior valor”, ressalta.

O retorno sobre o investimento (ROI) das concessionárias de veículos seminovos ficou em 74% com crescimento de 0,4 ponto porcentual em relação a abril. O destaque ficou com a Hyundai (110%), seguida pela Honda, com um ROI de 107%.

Entre as redes de concessionárias que tiveram a maior taxa de conversão (avaliação versus captação), cinco marcas se destacaram, ficando acima da média de 18%: Hyundai (23%), Fiat (21%), Chevrolet (21%), Nissan e Citroën (19%). Já a Caoa Chery (10%), Ford (11%) e Toyota (12%) apresentaram as menores taxas de conversão.

Fiat Cronos assume a liderança

O Fiat Cronos foi eleito o carro com maior rentabilidade no mês de maio, com preço médio: R$ 74 mil, margem de 11,9% e giro médio em 30 dias, ultrapassando a liderança do Toyota Yaris Hatch, que ficou em segundo lugar, com preço médio: R$ 86 mil, margem: 11,1% e giro médio em 29 dias. A terceira ocupação no ranking ficou com o Renault Duster (preço médio de R$ 93 mil, margem de 11,7% e giro médio de 31 dias). O Honda City que figurava na terceira posição no mês de abril não ficou entre os top dez de maio. Já o Fiat Argo, que liderou o ranking nos primeiros meses do ano, ficou na quinta posição.

A amostra do estudo engloba 2.678 concessionárias de 23 diferentes marcas conectadas na plataforma Auto Avaliar.Com presença em sete países, a Auto Avaliar atende, atualmente, 4.200 concessionárias e mais de 38.000 lojas independentes e realiza US$ 1,4 bilhão de vendas anuais.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *