Será a Inteligência Artificial capaz de transformar o acesso ao crédito para pequenas e médias empresas?

Será a Inteligência Artificial capaz de transformar o acesso ao crédito para pequenas e médias empresas?

Falta de crédito é um grande problema para o crescimento das PMEs

Para as pequenas e médias empresas (PMEs), a implementação das tecnologias como a Inteligência Artificial (IA) pode trazer inúmeros benefícios. Desde a simples tarefa de escrever um e-mail, construir documentos complexos, desenhar planejamentos de marketing ou analisar planilhas financeiras, os LLMs (Large Language Models) estão ganhando adeptos e usuários como nunca.

No entanto, estas tecnologias serão disruptivas o suficiente para transformar os negócios destes empreendedores? De acordo com Anderson Pereira, CEO da fintech Kapitale e especialista no tema, em sua tese “SME Lending – Asymmetries and Opportunities in the Brazilian Market”, a falta de acesso ao crédito é um obstáculo significativo para o crescimento e sustentabilidade das PMEs. A introdução da inteligência artificial (IA) no espaço de empréstimos para PMEs promete transformar essa realidade, abordando as raízes das lacunas financeiras.

A Kapitale desenvolveu uma plataforma robusta para solucionar a dor de 91% das MPMEs que lutam para ter acesso ao crédito. “O Brasil e a Argentina são os únicos países do mundo que encontrei em minha pesquisa onde uma venda de cartão de crédito demora mais de 30 dias para ser liquidada. Isso criou um mercado de antecipação de cartões crédito dominado por poucos players, que oferecem um crédito caro e pouco eficiente. A Kapitale nasceu para mudar isso”, diz o empresário.

Segundo seu estudo, os principais desafios para acesso ao crédito no segmento de pequenas e médias empresa são os seguintes:

1. Assimetria de Informações: Os credores não possuem dados suficientes para avaliar com precisão o risco associado a uma PME específica.

2. Burocracia e Regulação: Processos regulatórios complexos e demorados que dificultam o acesso ao crédito.

3. Falta de Garantias: A incapacidade das PMEs de fornecer garantias reais exigidas pelos credores tradicionais.

4. Custo de Servir: O alto custo operacional de processar e monitorar empréstimos para PMEs.

5. Analfabetismo Financeiro: A falta de conhecimentos financeiros adequados entre os proprietários de PMEs, o que dificulta a navegação pelo processo de obtenção de crédito.

A inteligência artificial tem o potencial de mitigar muitos desses desafios, facilitando o acesso ao crédito para PMEs de maneira significativa. “As IAs já são utilizadas na indústria bancária há anos, onde os modelos de scoring são aperfeiçoados à medida que se identificam perfis de comportamento comuns, além de análise de dados não-tradicionais, como transações online e padrões de fluxo de caixa”, complementa Anderson.

Utilizando a big data e analytics, a IA pode analisar grandes volumes de dados para identificar padrões e avaliar a saúde financeira das PMEs com maior precisão. Isso ajuda a reduzir a assimetria de informações, permitindo que os credores tomem decisões mais assertivas e reduzam o risco de inadimplência.

Simplificação da Burocracia

Plataformas digitais e ferramentas automatizadas como a Kapitale podem agilizar procedimentos burocráticos, tornando o processo de empréstimo mais rápido e eficiente. Anderson Pereira destaca: “A digitalização do processo de empréstimo, impulsionada pela IA, pode reduzir significativamente os custos e o tempo associados à obtenção de crédito. Na Kapitale, o cliente pode acessar todas as suas vendas do cartão e liberar acesso aos recursos no mesmo dia”

Soluções Alternativas as Garantias

A IA também permite a criação de novos modelos de crédito que não dependem exclusivamente de garantias reais. Na Kapitale, por exemplo, não são exigidas garantias reais, como imóveis ou veículos, mas as próprias vendas futuras dos clientes feitas em cartão são utilizadas como garantias para as transações na plataforma.

Redução do Custo de Serviço

Automatizando tarefas repetitivas e utilizando algoritmos de machine learning para monitorar e prever riscos, a IA pode reduzir significativamente os custos operacionais dos credores. Isso torna mais viável a concessão de empréstimos menores e diversificados, típicos das PMEs.

Educação Financeira

Através de ferramentas educativas baseadas em IA, como assistentes virtuais e plataformas interativas, os proprietários de PMEs podem receber orientação personalizada e desenvolver suas habilidades financeiras, facilitando a navegação no complexo cenário financeiro.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *