Bem Brasil ganha espaço no mercado internacional

Bem Brasil ganha espaço no mercado internacional

Há quatro anos, a Bem Brasil, líder de vendas na indústria de batatas congeladas no Brasil, passou a exportar seus produtos, conquistando importantes mercados. Essa movimentação da companhia foi muito bem aceita, o departamento alcança a cada ano resultados mais expressivos. E, para 2024, a estimativa é de um crescimento na casa dos 20%.

 Uruguai, Bolívia, Paraguai, Peru, Chile, México, Estados Unidos, Malásia e Vietnã são os países onde já é possível encontrar produtos Bem Brasil. “A exportação é uma operação complexa que requer um planejamento importante. Os resultados que colhemos hoje são fruto de uma estratégia muito bem definida. Somos uma empresa consolidada no Brasil, que atingiu essa maturidade e passou a atender outros mercados”, explica Katsumi Takano, Foreign Trade Manager da Bem Brasil.

 O principal mercado de atuação da companhia está no Mercosul. Paraguai, Bolívia e Uruguai são as principais praças. Isso se deve a um conjunto de fatores: o perfil dos consumidores ser semelhante aos brasileiros, as transições livres de impostos entre países do bloco e a logística facilitada pelo acesso rodoviário.

 Para os países além das Américas, como Malásia e Vietnã, a qualidade e a variedade dos produtos são o grande destaque. Os Estados Unidos são um mercado diferenciado, no qual a companhia está construindo uma estratégia agressiva para ampliar sua participação no setor de batatas congeladas.

 A presença da Bem Brasil nesses países é fomentada pela ampliação do consumo de batatas congeladas pela população, tendo como uma das cartas na manga o gosto dos jovens consumidores em experimentar novos produtos. E pela segurança de alimentos, a Bem Brasil segue os mais altos padrões de boas práticas de produção, levando para a mesa dos consumidores batatas de excepcional qualidade. Um contraponto importante em relação às batatas in natura cultivadas sem regulamentações em muitos lugares.

 A capacidade produtiva anual da Bem Brasil é de 500 mil toneladas. O portfólio da empresa conta com 21 produtos, tendo a batata frita como o carro chefe, no Brasil e nas exportações.

 Os outros produtos da marca, como os tradicionais petiscos, hash brown, feito com batata ralada e temperado; os dadinhos de batata com toque de queijo; os anéis de cebola, que vêm da primeira fábrica do Brasil a oferecer o produto; as batatas carinhas, um formato divertido para a hora de comer; a polenta, sempre sequinha e muito saborosa e a grande novidade, o stick de queijo, estão sendo apresentados ao mercado internacional por etapas.

 “O mercado internacional de batatas congeladas possui enorme potencial, temos um produto de qualidade, variedade e que atende ao gosto dos consumidores. Vamos trabalhar para gradativamente contribuir para o desenvolvimento desses novos mercados, tornando cada vez mais a marca Bem Brasil conhecida ao redor do mundo”, finaliza Takano.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *