You are here
Home > Trabalho/Emprego > Dificuldades e benefícios de um home office

Dificuldades e benefícios de um home office

home office2O home office é uma tendência que parece crescer cada vez mais. Segundo dados do Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já são cerca de 30 milhões de brasileiros trabalhando em casa. Mas, será que este tipo de trabalho é válido para qualquer pessoa? “Ter mais tempo livre e autonomia para controle de horário e trabalho, ou o isolamento, podem ser complicadores para algumas pessoas menos disciplinadas ou mais extrovertidas, o que pode acabar comprometendo o trabalho”, explica o professor Marcos Garcia, mestre em Ciência, Gestão e Tecnologia da Informação. Ele é autor do livro Pedagogia Empresarial – Saberes, Práticas e Referências, sobre o mercado corporativo.

A falta de leis específicas para este tipo de contrato de trabalho pode ser uma dificuldade enfrentada tanto pelo empregador quanto pelo empregado. Por isso, é importante serem avaliadas as vantagens e desvantagens e haver uma conversa franca a respeito. “Mesmo que seja uma tendência e pareça uma oportunidade mais tranquila e rentável à primeira vista, é preciso avaliar antes, contrapondo com a sistemática que é necessária para esta modalidade de trabalho”, diz Garcia.

Para ele, nem toda empresa tem condições de supervisionar um funcionário em casa ou todo profissional tem um perfil disciplinado o suficiente para conseguir trabalhar em casa sem atrapalhar os negócios ou a vida pessoal. “Precisam ser avaliados os prós e contras. O trabalhador, por exemplo, pode sofrer com a falta de interação social e profissional, até uma redução de oportunidades profissionais por não estar dentro da empresa”, observa. “Podem ocorrer ainda problemas familiares, porque o profissional acaba prolongando suas tarefas por estar em casa ou pelo simples fato de dividir o mesmo espaço e não saber separar os horários entre trabalho e lazer”, completa Garcia.

Já a empresa pode ter dificuldades em supervisionar o trabalho. “Como o funcionário fica fora, os valores da empresa podem se perder, pois o contato diminui drasticamente – mesmo ocorrendo reuniões periódicas, também há o risco de vazamento de informações, mesmo que não propositais, e ocorrer uma queda de produtividade e da qualidade do serviço prestado”, avalia.

Por outro lado, se bem administrado e planejado, o trabalho em home office tem a possibilidade de trazer grandes vantagens para ambos os lados. “O funcionário vai reduzir o estresse com um controle melhor do próprio ritmo de trabalho, pode aprimorar a qualidade de vida em família e aumentar momentos de lazer, pois reduz o tempo gasto com deslocamento. Com isso, o funcionário melhorará seu desempenho profissional, trazendo mais benefícios para a empresa”, conclui.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top