Desembolsos do BNDES caem 28% em 2015

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou R$ 135,9 bilhões para projetos de investimento em 2015, um recuo nominal (sem descontar a inflação) de 28% em relação ao ano anterior, quando os desembolsos atingiram R$ 187,8 bilhões. O volume de aprovações e consultas também encolheu no período, informou a instituição em nota. No ano passado, foram aprovados R$ 109,5 bilhões em financiamentos, e as consultas atingiram R$ 124,6 bilhões. Em ambos os casos, o tombo foi de 47% em termos nominais, apontou o BNDES.

“O desempenho acompanha a desaceleração da demanda por novos investimentos e foi influenciado pela política de ajuste fiscal implementada pelo Governo Federal, o que implicou em duas mudanças: condições mais restritivas nos programas equalizados e fim da política de empréstimos do Tesouro Nacional ao BNDES”, justificou o banco.

O setor de infraestrutura recebeu a maior parte dos desembolsos do BNDES em 2015. Foram R$ 54,9 bilhões, ou 40,4% do total, segundo a instituição. Ainda assim, o volume foi 20% menor do que em 2014, sem descontar a inflação no período. As aprovações para o setor, por sua vez, totalizaram R$ 41,0 bilhões no ano passado, recuo nominal de 49% ante 2014, segundo o BNDES.

“Frente à conjuntura, o BNDES ajustou sua política operacional, preservando maiores níveis de participação, taxas menores e prazos mais longos para setores e temas prioritários. Como resultado, e mesmo diante do cenário de retração, o banco manteve níveis consistentes de apoio em áreas importantes”, diz a instituição em nota.

Entre estes setores prioritários, o banco destacou os desembolsos para projetos de energia elétrica (R$ 21,9 bilhões, alta de 15%) e de logística de transporte (cerca de R$ 20 bilhões, alta de 8%).

Na área de energia, o destaque ficou com os projetos eólicos, que receberam R$ 6,1 bilhões, expansão de 85%. Já na área de logística, os projetos de mobilidade urbana atingiram R$ 8,5 bilhões, 30% acima dos R$ 6 bilhões desembolsados em 2014.

O setor industrial recebeu o segundo maior volume de desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social em 2015, atrás apenas da infraestrutura. Segundo a instituição, R$ 36,9 bilhões foram liberados para a indústria, 27,1% do total. Apesar disso, o volume representa uma retração de 26% em relação ao ano anterior, sem descontar a inflação no período.

Ainda segundo o BNDES, o setor de comércio e serviço recebeu R$ 30,4 bilhões em aportes, recuo de 41% ante 2014. Os desembolsos para agropecuária totalizaram R$ 13,7 bilhões, queda de 18% no período.

No ano passado, a instituição desembolsou ao todo R$ 135,9 bilhões para projetos de investimento, um recuo nominal (sem descontar a inflação) de 28%.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *