You are here
Home > Negócios > Cores têm influência direta no sucesso ou fracasso das vendas online

Cores têm influência direta no sucesso ou fracasso das vendas online

Independente do projeto de negócio que os empresários queiram executar, seja uma loja física, um site de comércio eletrônico, um simples blog de negócios ou mesmo materiais impressos, uma coisa é certa: terão que caprichar na escolha das cores, se quiserem ter um bom resultado. Engana-se quem pensa que as cores não fazem diferença em um layout. Elas também são fundamentais e muitas vezes responsáveis pelo sucesso ou fracasso de uma peça promocional, de uma campanha publicitária e até mesmo de uma marca.

No caso específico de lojas virtuais, um artigo publicado recentemente e um jornal de marketing interativo comprova que o consumidor acha que vale mais a pena comprar uma calça de R$ 150 que ele vê em uma loja virtual com fundo preto ou azul do que adquirir uma calça semelhante por R$120 em uma loja virtual com fundo vermelho.

Muitos devem estar pensando, mas que pesquisa sem sentido é essa! É claro que seria melhor comprar da loja mais barata. No entanto, as pesquisas têm mostrado que o consumidor não é tão racional assim, e a mudança do ambiente, nesse caso, a cor de fundo da loja virtual, pode mudar a percepção de valor.

Resultados surpreendem

Essa pesquisa traz resultados ainda mais surpreendentes. Por exemplo: as pessoas tendem a se importar menos com o aumento de preços em uma loja cujo fundo é azul ou mais escuro. Por outro lado, os consumidores são mais sensíveis a preços em lojas que utilizam muito vermelho ou fundos claros em seus sites. Na prática, isso significa que é mais difícil vender com preços mais elevados caso o site tenha fundo branco ou utiliza muito vermelho. Agora, se o posicionamento da loja virtual for de preços mais altos do que os concorrentes, é melhor optar pelo fundo azul ou mais escuros.

Outro ponto curioso desse estudo científico é que as pessoas, em geral, relacionam preços altos com qualidade em sites com fundo azul. Já em sites com fundo vermelho, o preço alto é relacionado a maior sacrifício monetário. Em outras palavras, um consumidor que acessa um site predominantemente de cor azul e ver um produto com preço alto, provavelmente irá pensar que a mercadoria é de boa qualidade. Já se esse mesmo consumidor entrar em um site que utiliza muito vermelho e vê o mesmo produto, com o mesmo preço, há mais chances de ele pensar que o produto é caro e que não vale a pena comprar, do que imaginar que a qualidade é melhor. Portanto, quem quer que os clientes percebam alta qualidade no produto, é interessante utilizar na loja virtual mais azul e cores escuras.

Concluindo, a partir do resultado dessa pesquisa científica é possível repensar o posicionamento e as estratégias do negócio no mundo virtual, pois as vendas poderão melhorar com uma simples mudança de cor no fundo do site.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top