You are here
Home > Negócios > Clubes de assinaturas se popularizam e apresentam várias vantagens para os consumidores

Clubes de assinaturas se popularizam e apresentam várias vantagens para os consumidores

Os clubes de assinaturas estão se tornando um modelo de negócios cada vez mais popular em alguns setores, com destaque para as áreas de entretenimento, financeiro, serviços, turismo e até alimentação. Diferente de uma loja virtual padrão, onde o comprador escolhe um produto de sua preferência e paga por ele, esse negócio é baseado em planos onde o consumidor contrata os serviços por um determinado período e desfruta dos produtos e serviços oferecidos sem sair de casa, geralmente pagando uma taxa mensal.

Vamos pensar em uma compra básica, como por exemplo arroz, feijão ou ração para os petz. Com um clube de assinaturas o consumidor pode receber os produtos mensalmente, na quantidade que precisa e sem ter que se deslocar de casa. Outro ponto que merece destaque nesse mercado são os produtos de luxo, como vinhos, variedades diferentes de cafés, cervejas gourmet ou charutos. Nesses casos, ao escolher por um plano, o cliente recebe os produtos por mês e com dicas de apreciação e resenhas sobre cada variedade.

Pesquisa

Henrique Donabella.

Para entender melhor como avança essa estratégia, a Collinson, que é líder global em benefícios e fidelização do cliente, encomendou uma pesquisa da Toluna Insights, com mais de mil brasileiros, e descobriu que 53% dos consumidores pagariam por um clube de assinatura motivados por benefícios. Já 26% entrariam num clube de assinaturas apenas pelos preços e 17% por conveniência.

A indústria financeira, através do cartão de crédito, consolidou o modelo de assinatura onde o pagamento da tarifa anual do cartão acaba gerando benefícios adicionais como acesso sala VIP em aeroportos, descontos em restaurantes e cinema, entre outros. Por isso, 38% dos entrevistados na pesquisa disseram ter interesse em assinar produtos relacionados a cartão de crédito.

Por sua vez, o setor de viagens continua crescendo. A pesquisa aponta que 30% dos consumidores têm interesse em assinar algum plano pago de hotéis ou companhias aéreas.

Benefícios

Benefícios econômicos ainda são muito esperados e desejados pelos consumidores, mais de 60% disseram preferir clubes de assinaturas que proporcionem descontos e promoções. Contudo, serviços preferenciais, ilimitados ou eventos exclusivos já ocupam um espaço importante na expectativa do consumidor (quase 40%).

De acordo com o diretor geral da Collinson no Brasil, Henrique Donnabella, o crescimento do interesse dos brasileiros em pagar por clubes de assinatura é uma ótima oportunidade para as marcas rentabilizarem a sua base de clientes através de uma proposta de valor diferenciada. “Os clubes de assinatura podem ser muito eficazes para engajar mais os consumidores que já estão familiarizados com determinada marca e estão dispostos a pagar uma taxa para personalizar e aprimorar seus benefícios”, acredita.

Serviços online de entretenimento como a Netflix e o Spotify são os mais assinados de acordo com a pesquisa da Collinson, 74% e 29%, respectivamente. Já o clube de assinatura da Amazon Prime, que no Brasil apenas oferece serviços de streaming de filmes, também se destaca com 15% de assinantes.

Programas de fidelidade

Os programas de fidelidade também entraram de cabeça no modelo de assinatura paga; a pesquisa também mostra que os clubes da Multiplus, Smiles e da Tudo Azul são assinados por 12, 9 e 8% dos entrevistados, respectivamente.

“Existe uma tendência global de lançamento e adesão que chamamos de Paid Loyalty – programas de fidelidade que criam planos pagos para oferecer uma experiência ainda mais relevante aos seus clientes. Na condição de pagante, o cliente que não atinge a frequência de compra esperada pela empresa, e consequentemente não consegue obter as vantagens e benefícios através do programa de fidelidade gratuito, passa a ter uma opção de contribuir financeiramente para ter acesso a estes serviços e benefícios”, diz Donnabella.

A pesquisa aponta que no varejo há um crescimento no interesse por clubes de assinatura de diferentes setores: Farmácia (37%), Produtos de Beleza (36%), Postos de Gasolina, (32%), Petshops (18%) e Decoração (16%). Também existe uma forte tendência na intenção de compra está o setor de Mobilidade, que contempla aplicativos de transporte privado, transporte público, aluguel de bicicletas/patinetes e carros.

Os clubes de assinatura são uma ótima ferramenta por si só e quando inseridos num programa de fidelidade gratuito. É necessária uma calibração cuidadosa das empresas para atingir seus objetivos de engajamento com sucesso.

Para os empresários que estão interessados em abrir um clube de assinaturas é fundamental que saibam que não adianta ter uma excelente ideia de negócio, se a plataforma não comportar o fluxo de visitação ou não for capaz de oferecer uma experiência de compra ágil e eficiente para o seu público. Por isso é importante apostar em plataformas robustas, escaláveis e com atualizações constantes.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top