You are here
Home > Trabalho/Emprego > Egressos do Sistema Fiep têm alta empregabilidade e chances de ganhar mais

Egressos do Sistema Fiep têm alta empregabilidade e chances de ganhar mais

Os alunos egressos do Sistema Fiep têm mais empregabilidade; mais chances de ascender na carreira; salário acima da média; estão satisfeitos com o setor industrial e ainda têm expectativas alinhadas com as do mercado de trabalho. Isso foi o que demonstrou uma pesquisa encomendada pelo Sistema Fiep à FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e executada pela Paraná Pesquisas. Três mil quinhentos e oitenta e três alunos egressos, que finalizaram os cursos de 2015 a 2017, e 1069 externos foram entrevistados.

O objetivo foi olhar para cada linha educacional ofertada pelo Sistema Fiep no estado do Paraná. “Entendemos que o acesso à educação não é um caminho simples para muitas pessoas, seja pela localização do município onde moram, seja pelo custo. No entanto, também sabemos que a educação é o maior investimento que pode ser feito, tanto para os indivíduos, quanto para a sociedade”, afirma Edson Campagnolo (foto), presidente do Sistema Fiep.

O Sistema Fiep oferta um extenso portfólio de cursos nas mais diferentes modalidades – presencial, semipresencial e a distância, com diferentes durações e preços, em suas unidades fixas e móveis. “São cursos capazes de ajudar as pessoas a mudarem o rumo de suas vidas, de atingirem a independência financeira e até mesmo empreenderem”, completa Campagnolo.

Resultados

Entre os destaques, está o fato de os egressos do Sistema Fiep passarem menos tempo procurando emprego do que os outros – 62% consegue um emprego em até 6 meses. Além disso, têm 50% mais chance de trabalho com carteira assinada. As chances de promoção também são maiores: 34%. Para quem tem ensino superior, o índice é mais alto: 43%.

Os salários deles também são maiores. Eles ganham da concorrência quando formados em Qualificação, Técnico e EJA na faixa que vai de R$ 1 mil a R$ 4 mil, e na Graduação na faixa que vai de R$ 2 a R$ 5 mil. Por esses números e outros explica-se porque 56% são muito satisfeitos com sua situação profissional.

“Essa alta empregabilidade, bons salários e ascensão profissional devem-se às metodologias de ensino do Sistema Fiep, que proporcionam vivências de situações reais em ambientes de experimentação, o que promove o desenvolvimento de habilidades técnicas e também socioemocionais relevantes”, afirma Campagnolo.

A maioria daqueles que trabalham na indústria não trocariam de setor e o aluno egresso do Sistema Fiep têm mais acesso a ela. No entanto, apesar de os egressos trabalharem prioritariamente na indústria, também atuam no comércio e serviços. Isso comprova que estão aptos a trabalhar em qualquer setor econômico.

“Nossos egressos, sejam provenientes do Colégio Sesi, Senai ou Faculdades da Indústria, chegam ao mercado preparados e alinhados às necessidades da indústria, que é parceira do Sistema Fiep, como nenhuma outra instituição. Com isso, têm boas chances de conquistar as melhores vagas, com os melhores salários”, finaliza o presidente do Sistema Fiep.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top