You are here
Home > Negócios > Demanda por lentes de contato descartáveis disparam no Brasil

Demanda por lentes de contato descartáveis disparam no Brasil

Seja por razões estéticas ou para facilitar atividades no dia a dia, a praticidade é prioridade dos usuários de lentes de contato. Entre os vários tipos, as mais modernas são as de descarte diário, que tiveram um boom na Europa e já ganham o mercado brasileiro. Os menores riscos à saúde e a necessidade de poucos cuidados são facilidades que levaram ao aumento da participação desses itens no segmento, de 9% para quase 13% em 2018, segundo a empresa alemã de pesquisa GfK.

“A versão de descarte diário dispensa precauções que normalmente são exigidas das outras, como a necessidade de assepsia, simplificando ainda mais a vida de quem tem problemas de visão”, diz Lucas Fernandes, fundador da NewLentes. A loja virtual comercializa esse produto e sentiu a demanda crescer progressivamente, apesar de as lentes de descartes quinzenal e mensal ainda liderarem as vendas.

Mudança de cenário

Entre os países europeus, esse tipo de lente foi o que mostrou maior taxa de crescimento anual (CAGR) de 2018, segundo o Market Watch. No Brasil, o cenário começa a mudar: “Os consumidores passaram a perceber as vantagens à rotina que esse tipo proporciona, apesar do custo um pouco mais elevado”, afirma Fernandes. Uma caixa de 30 itens de descarte diário, que dura um mês, custa em média R$ 120, enquanto a da versão mensal, que tem o mesmo custo médio, dura 6 meses.

Mesmo com a diferença no bolso, o ganho real está na saúde ocular, já que a troca diária de lentes evita o acúmulo de proteínas, um fenômeno que pode ocorrer nas de uso contínuo e causa infecções, se não for bem administrado. Fora a economia de tempo com o ritual de higienização delas, que é dispensado da rotina. “Também não há gastos com estojos e soluções multiúso que servem para limpeza e conservação”, cita o fundador da NewLentes. Os benefícios são ainda maiores aos consumidores mais displicentes, que esquecem com frequência dos cuidados e estão mais expostos à contaminação por bactérias e fungos.

Hoje, o público que mais adere às lentes de descarte diário são os que fazem uso esporádico e os que praticam esportes. “É ideal para quem deseja variar o visual ocasionalmente para sair com os amigos ou para quem vai à academia, pratica futebol ou natação, por exemplo. Nos dois casos, ao terminar a atividade, é só jogar fora e pronto”, declara o fundador da loja virtual.

Para Fernandes, a tendência é que outros tipos de consumidores também percebam que vale a pena fazer um investimento um pouco maior para estar mais protegido de problemas nos olhos e ainda ganhar tempo. Especializada no segmento, a NewLentes teve aumento de 41% no número de pedidos e 44% no faturamento no primeiro trimestre 2019 em comparação ao mesmo período de 2018.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top