You are here
Home > Finanças > Ter o nome sujo no Google é pior do que constar no cadastro da Serasa

Ter o nome sujo no Google é pior do que constar no cadastro da Serasa

“Houve um tempo em que a boa reputação vinha do resultado da busca em órgãos de proteção de crédito. Hoje as pessoas usam o Google e as redes sociais para saber se deve mesmo contratar uma pessoa ou empresa, ou se patrocina tal projeto ou artista”. A afirmação é do consultor e palestrante Flavio Muniz, que também é criador e idealizador da Agência Espalhando, que este ano completa 10 anos no mercado.

Muniz compreende como funciona cada algoritmo e o processo comportamental da maior plataforma de busca, além das particularidades das redes sociais. Segundo ele, ninguém está imune a esta exposição e, portanto, a esta avaliação de sua reputação. “Ter o nome sujo no maior serviço de buscas da rede prejudica a imagem em muitos sentidos, não só no momento de arrumar um emprego. Veja o caso das empresas: processos trabalhistas, comentários negativos de clientes e até polêmicas que já foram resolvidas há muito tempo são prejudiciais se aparecem logo na primeira página da busca. O nome sujo no Serasa é fácil de resolver. Mas um escândalo, mesmo depois de solucionado, fica nos resultados de busca. Se não for feita essa limpeza a tempo, a pessoa perde a boa reputação e a empresa perde muitos clientes”, alerta o especialista.

COMO GERAR ESSA TRANSFORMAÇÃO?

Para limpar a reputação é necessário recorrer a um profissional para retirar ou esconder o conteúdo negativo da rede. “Tem empresa que me procura para minimizar comentários negativos de clientes e, em vez deles, mostrar o que já saiu de positivo na imprensa no lugar. Mas também tem pessoas físicas, que foram difamadas ou tiveram seus nomes vinculados a escândalos e precisam limpar o currículo, celebridades que querem se reposicionar de alguma forma, pessoas que querem se desassociar da imagem do ex”, exemplifica Muniz.

De acordo com o especialista, uma das formas de fazer a limpeza do nome é utilizando estratégias de SEO. Assim, os links negativos são empurrados para as últimas páginas dos mecanismos de busca. Ele explica que “assim como podemos colocar um conteúdo na primeira página do Google, também conseguimos arrastá-lo para as últimas páginas. O Google tem vários fatores para determinar o ranqueamento das páginas e sabendo dos fatores a gente pode colocar esse conteúdo negativo nas últimas páginas que são aquelas que raramente alguém vai olhar”.

Para a empresário Ericson Oliveira, proprietário de um espaço para eventos religiosos, confraternizações e casamentos no interior de São Paulo, a técnica funcionou para posicionar sua marca de uma maneira mais positiva. “Além de nos ajudar a colocar o conteúdo mais relevante sobre nossa empresa para quem buscasse especificamente nosso nome no Google, a limpeza ajudou a nos posicionar em relação à concorrência. Nos tornamos destaque para quem busca sítio para casamentos no interior de São Paulo. A busca no Google acaba sendo o melhor anúncio”, diz a empresário.

Segundo Muniz, para limpar um nome “sujo” no Google ou para alavancar uma marca para as primeiras posições do buscador o investimento é alto. Porém, este aporte, que as vezes chega a cinco dígitos, sai mais barato do que conviver com uma imagem manchada na rede.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top