You are here
Home > Negócios > Brechós utilizam redes sociais para expandir negócio

Brechós utilizam redes sociais para expandir negócio

O mercado de Brechós é um dos segmentos que mais cresceu no Brasil nos últimos anos. A oferta de peças de vestuário de qualidade a preços mais acessíveis aliada ao conceito de sustentabilidade, fez com que o público consumidor desse tipo de negócio crescesse expressivamente, atraindo a atenção de mais empreendedores.

O segmento hoje é um dos mais procurados no canal Ideia de Negócios, no portal do Sebrae, que oferece uma série de dicas e orientações para quem pretende transformar em realidade o sonho de abrir o próprio negócio em 2020.   

brechó é um negócio direcionado à compra e venda de artigos usados, principalmente produtos relacionados ao vestuário masculino, feminino e infantil. Essa é uma das mais antigas atividades comerciais, cuja origem vem do chamado “mercado das pulgas” na Europa, onde se podia comprar e vender praticamente tudo.

Porém, em alguns países como a China, Índia e Bangladesh esse tipo de comércio é ainda mais antigo. No Brasil, o nome seria uma referência a um mascate chamado Belchior, que vendia produtos de segunda mão no Rio de Janeiro. Antes julgado como sinônimo de peças desgastadas e fora de moda, hoje os brechós estão em alta e são vistos como uma tendência descolada e sustentável.

Nos brechós atuais se comercializa artigos limpos, bem conservados, seminovos e com preços acessíveis. Compras nesses locais possibilitam economia que vai até 80% em relação às lojas tradicionais. Populares na Europa e nos Estados Unidos, essas lojas estão conquistando o seu mercado no Brasil, onde é possível encontrar um ambiente democrático e com grande variedade de peças originais a preços tentadores. O brechó atende a todas as classes sociais, com interesses que variam desde a procura por marcas famosas até a economia na aquisição de produtos. Os clientes dos brechós são encontrados em todas as idades, independente de sexo e de poder aquisitivo.

A empresária Michelle Svicero resolveu entrar neste setor há 10 anos, quando criou a Vintage Shop em Bauru, no interior paulista. “Nosso grande desafio foi quebrar o preconceito das pessoas de usar roupa de segunda mão”, conta Michelle, que decidiu abrir seu negócio aos 16 anos, quando cursava moda. O primeiro passo foi vender 40 peças de seu próprio guarda roupa. Depois ela começou a comprar ou trocar roupas com os clientes. “O que era um hobby se transformou em um bom negócio, mas para isso é preciso ter persistência, não desistir no primeiro obstáculo que aparecer”, diz a designer de modas, que abriu a loja em sociedade com o marido Guto Alves.

Gestão de marketing

Para desenvolver o negócio, Michelle conta que fez vários cursos no Sebrae, como de gestão financeira, de pessoal e de marketing, entre outros.  A empresária comenta que é fundamental buscar qualificação para conseguir gerir o brechó de forma eficiente. Além da gestão, Michelle recomenda investimentos em novas mídias, como as redes sociais.

Em uma pesquisa divulgada pela PricewaterhouseCoopers (PwC), constatou-se que 77% dos brasileiros tiveram suas recentes decisões de compra influenciadas diretamente por essas plataformas.  Nesse sentido, Michelle Svicero diz que – apenas no Instagram – a empresa conta com quase 24 mil seguidores.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top