Startup desburocratiza e humaniza desligamentos em empresas no Brasil

Startup desburocratiza e humaniza desligamentos em empresas no Brasil
Criada com o objetivo de desburocratizar os processos homologatórios realizados pela empresas, além de oferecer um desligamento mais humanizado entre empresas e ex-funcionários, a Medei foi fundada em 2011 pela empreendedora Fernanda Medei (foto). A ideia da startup surgiu quando a advogada vivenciou na pele a dor de muitos funcionários no momento do desligamento: foram 120 dias até ser homologada.

A partir dessa experiência, desenvolveu uma plataforma que otimiza e facilita os processos de desligamento do começo ao fim, oferecendo uma melhor experiência para os gestores de RH ao garantir controle dos prazos estabelecidos por lei, gestão de documentos, homologações em qualquer lugar do Brasil por meio da tecnologia de videoconferência e diminuição de custos em até 95%. Além disso, a ferramenta também oferece economia de tempo na gestão, somente em 2019 foram 40 mil horas a menos.

Já os funcionários contam com informações claras, além de um atendimento personalizado e acolhedor, que possibilitam que se sintam confortáveis para tirar dúvidas.

“A experiência atual é muito negativa. O funcionário não entende os valores envolvidos no momento da homologação contratual (descrito no Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho), tendo aquela sensação de que está sendo passado para trás. Já o Recursos Humanos com um modelo totalmente manual, oferece uma gestão morosa de documentação e uma falta de controle na gestão de processos em locais distantes da sede, por exemplo”, explica Fernanda Medei, CEO e fundadora da startup.
 
Foi nesse cenário que vimos uma real necessidade de mercado por uma ferramenta, que suprisse problemas gerados ao final da jornada do colaborador nas empresas, muitas vezes esquecida, mas não menos importante”, complementa.

Entre os serviços oferecidos pela Medei estão a personalização da plataforma, com ferramenta altamente customizável para cada empresa; disponível em nuvem, oferece todas as garantias de segurança e confiabilidade pela atual legislação e LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e analytics disponível, em que a empresa analisa todos os dados do ex-funcionário, além de obter insights práticos.

Para garantir ainda mais a performance da ferramenta, a plataforma está disponível em dois modelos de atendimentos: Enterprise (presencial) e Fit (100% digital). Aos que preferem atuação física, a Medei possui uma rede com mais de 600 representantes em todo o Brasil para a homologação em um dos seus escritórios. Esse modelo atende empresas que exigem documentos impressos com assinatura do colaborador e quando é necessária a aprovação de sindicatos das categorias de trabalho.

Já para os que optam pelo Fit, em um serviço totalmente digital, os documentos são assinados digitalmente e entregues ao funcionário e empresa por meio de um sistema seguro e controlado na plataforma. As assinaturas são feitas de acordo com as normas estipuladas pela ICP Brasil (instituto Nacional de Tecnologia da Informação), garantindo validade legal desses documentos.

Hoje, a Medei possui mais de 30 clientes que usufruem de seus serviços, entre elas estão companhias como, Santander, Sanofi, Natura e Zurich. Além disso, mais de 100 mil ex-colaboradores já foram atendidos pela plataforma.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *