You are here
Home > Trabalho/Emprego > Senai oferece portfólio com mais de 40 opções de cursos para que indústrias capacitem seus aprendizes

Senai oferece portfólio com mais de 40 opções de cursos para que indústrias capacitem seus aprendizes

Para apoiar as indústrias paranaenses com formação de qualidade para seus aprendizes, o Senai no Paraná oferece um portfólio completo, com 40 opções de cursos de Aprendizagem Industrial, que oferecem capacitação em profissões fundamentais para o setor. “A Aprendizagem Industrial é uma grande oportunidade de desenvolvimento para os jovens, ao prepará-los para atender as demandas das indústrias e ampliar suas possibilidades de carreira”, Giovana Punhagui, gerente executiva de Educação do Sistema Fiep. 

Segundo elas, é uma grande oportunidade para as próprias indústrias, que escolhem quais cursos se adequam mais a seus interesses e podem direcionar a formação de seus aprendizes para atender suas necessidades.

Quem já passou pela experiência de cursar a Aprendizagem Industrial no Senai atesta a qualidade da capacitação oferecida. Este é o caso de Fabrício Domingos, de 21 anos, que fez o curso de Assistente Administrativo em 2017, na unidade do Senai na Cidade Industrial de Curitiba.

Mudanças

“O Senai mudou a minha maneira de pensar e agir, ter um raciocínio lógico, que me ajudou em escolhas pessoais e profissionais”, conta Fabrício. Ele fez o curso quando era aprendiz em uma indústria de papel e celulose de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, e continua trabalhando na empresa desde então, mesmo com o término de seu contrato como aprendiz. Por isso, ele acredita que sua trajetória profissional se deve principalmente à experiência como aluno de Aprendizagem Industrial. 

De acordo com a legislação brasileira, todos os estabelecimentos com pelo menos sete empregados devem ter entre 5% e 15% de seu quadro de funcionários formado por aprendizes. Com o programa de Aprendizagem Industrial do Senai, as indústrias podem transformar essa obrigatoriedade em uma oportunidade para preparar esses jovens para trabalhar seguindo os processos e a gestão organizacional da empresa. São as indústrias que escolhem os cursos que desejam que seus aprendizes acompanhem, de acordo com sua área de atuação. 

Como são os cursos

Com grades curriculares elaboradas por comitês de educadores e gestores das indústrias, os cursos de Aprendizagem Industrial do Senai são voltados a jovens entre 14 e 24 anos que tenham sido selecionados como aprendizes pelas empresas, que tenham concluído ou cursando o Ensino Fundamental ou Médio.

Além das aulas, os alunos contam com acompanhamento pedagógico constante, tanto em aspectos técnicos quanto comportamentais. A duração da formação coincide com o período de contratação dos aprendizes, que vai até dois anos. 

Para as indústrias que são contribuintes do compulsório, não há custo com a capacitação pelo Senai. Além de oferecer os cursos, a instituição também pode auxiliar as empresas no recrutamento dos jovens. Entre as opções de cursos disponíveis, estão: Eletrotécnico na Fabricação Industrial, Auxiliar de Linha de Produção, Pedreiro de Edificações, Operador de Processos Industriais, Assistente Administrativo entre outros.

Nas cidades onde o Senai não está presente, existe a opção EAD para o curso de Assistente Administrativo, com aulas teóricas e práticas in company, por meio da modalidade à distância, conforme os critérios estabelecidos na legislação. As informações completas estão disponíveis no site da Aprendizagem Industrial do Senai

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top