You are here
Home > Negócios > Venda de panetone deve crescer 10% este ano e faturamento deve chegar a R$ 848 milhões

Venda de panetone deve crescer 10% este ano e faturamento deve chegar a R$ 848 milhões

Os panetones, queridinhos das festas de fim de ano, já estão disponíveis nas gôndolas dos supermercados. Para este ano, a expectativa da Associação Brasileira da Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi) é que a categoria cresça 10% em faturamento em comparação a 2019, chegando a movimentar R﹩ 848 milhões no período sazonal (novembro a janeiro) e 5% em volume. Em 2019 o setor faturou cerca de R﹩ 735 milhões e foram vendidas 40 mil toneladas de produtos.

Segundo a consultoria Kantar | Worldpanel Division, Usage Foods Grande SP, quando comparado o 2º quadrimestre de 2019 versus o 2º quadrimestre de 2020, a categoria cresceu 31% em ocasiões de consumo. Ou seja, acima da cesta de alimentos e bebidas (que cresceu 10%), ganhando share de estômago de seus consumidores.

Momentos de consumo

Dentre os momentos de consumo, há uma alta concentração no lanche da tarde, que representa 29,7% de todas as ocasiões de consumo de Panetones enquanto para Total alimentos e Bebidas, esse momento do consumo representa 8,9% das ocasiões. Seguido pelo lanche da manhã (10,8% panetone vs. 4,8% Total Alimentos e Bebidas) e café da manhã (49,4% para panetone vs. 29,2% Total alimentos e bebidas).

Quando analisado o gênero, classe social e idade dos consumidores do panetone, ele se concentra no público feminino, de classes mais altas (A/B) e principalmente nos usuários mais maduros acima dos 55 anos de idade.

Cláudio Zanão, presidente-executivo da Abimapi explica que a indústria inova constantemente em sabores e embalagens personalizadas todos os anos, gerando valor agregado ao produto. ” Este alimento está presente em 53,6% dos lares brasileiros. O consumo per capita do país é de 440 gramas, o equivalente a um panetone inteiro. É metade em relação à Itália, o país de origem da receita, mas, considerando-se o tempo em que em que o alimento está na mesa dos italianos, o alcance brasileiro é extraordinário”, explica.

Exportação

Quando falamos em exportação, de acordo com o projeto setorial realizado pela Abimapi, em parceria com a Apex-Brasil (Brazilian Biscuits, Pasta and Industrialized Breads & Cakes), as exportações de panetone obtiveram um aumento de 25,5% entre o ano de 2018 e 2019, totalizando US$ 17 milhões em vendas e 5,7 mil toneladas exportadas.
 
Entre os principais destinos (por volume exportado) estão: Estados Unidos (62,6%), Peru (16,8%), Paraguai (5,12%), Uruguai (4,4%) e Japão (2,4%).
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top