You are here
Home > Finanças > Empréstimo precisa ser declarado no Imposto de Renda?

Empréstimo precisa ser declarado no Imposto de Renda?

No ano passado a fintech de crédito pessoal online Simplic recebeu mais de 1,2 milhão de pedidos de empréstimo. Desses, quase 30% foram realizados para pagar contas como energia elétrica e água – sendo o maior motivo para solicitação de empréstimo. É neste cenário que muitos podem ficar com dúvidas se precisam ou não declarar a concessão no Imposto de Renda, que pode ser entregue até o dia 30 de abril. Pensando nisso, a Simplic separou  três dicas para tirar dúvidas sobre a declaração. 

“O crédito pessoal faz parte da realidade financeira de muitas pessoas. Somente na Simplic são mais de 4,7 milhões de contas abertas pelo país. É uma alternativa para uma emergência, pagar uma conta, fazer um reparo, até abrir um negócio ou comprar um carro. Mas nem todos os pedidos de empréstimo precisam entrar na Declaração do Imposto de Renda, somente aqueles acima de R$ 5 mil”, esclarece Rogério Cardozo, diretor executivo da fintech. 

Confira as dicas: 

Eu preciso declarar Imposto de Renda? 

Antes de mais nada é preciso saber se você realmente precisa declarar o Imposto de Renda em 2021. Precisam fazer a declaração para a Receita Federal aqueles que tiveram um rendimento de mais de R$ 28.559,70 no ano passado. Na conta entram valores como salário, férias, investimentos, horas extras, aluguéis, benefícios, pensões, entre outros. 

Aqueles que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributáveis na fonte acima de R$ 40 mil também precisam fazer a declaração. Nessa conta entram rendas como seguro desemprego, heranças, indenizações de seguros, loterias, entre outros. 

Peguei um empréstimo. Preciso declarar? 

Agora que você já sabe se precisa fazer a declaração ou não, entramos na questão dos pedidos de empréstimo. É preciso declarar? Depende. Nem todos os pedidos de empréstimos precisam ser considerados. De acordo com a Receita Federal, é necessário incluir na Declaração do Imposto de Renda somente os empréstimos acima de R$ 5 mil. 

Nesta categoria estão inclusos todos os tipos de empréstimo, desde um consignado até um cheque especial, por exemplo – contanto que esteja acima do valor informado. 

Como declarar? 

Na hora de prestar contas no site da Receita Federal, você precisa declarar os empréstimos acima de R$ 5 mil na seção “Dívidas e Ônus Reais”. Nesta aba é necessário incluir informações como quem liberou aquele empréstimo (nome e CNPJ da empresa ou banco), valor e tipo de empréstimo que foi feito. 

Ainda na seção, você precisará informar na aba “Situação em 31/12/2019” o valor da dívida – em outras palavras, quanto você ainda está devendo, subtraindo o que foi pago até a data informada na descrição da aba. 

Fique atento, pois financiamentos de imóveis ou carro, por exemplo, não se enquadram como empréstimo e devem ser declarados na aba de “Bens e Direitos”. 

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top