You are here
Home > Negócios > Doceria criada na pandemia expande atendimento em Curitiba

Doceria criada na pandemia expande atendimento em Curitiba

A doceria curitibana Pastry Lab, localizada em uma loja charmosa no Batel, consolida sua proposta de criação de doces autorais e fazer disso uma experiência especial para seus clientes, expandido seus serviços de take away (retirada do produto no local) e delivery, para atendimento no local com mesas e sobremesas exclusivas. Há exatamente um ano, a Pastry Lab nascia de um sonho do chef Gustavo Lorenzon e seu sócio Beto Motter, que há quase 20 anos no comando do Indra Catering, precisaram reinventar os negócios, em razão das restrições e fechamento do mercado de eventos na pandemia.

“Com o passar dos anos, tive a oportunidade de conhecer confeitarias estilo loja em vários lugares, desde marcas centenárias a novos empreendimentos e sempre fiquei encantado, não só com os produtos, mas também com a produção de cada lugar, com o cuidado em oferecer a melhor experiência ao cliente”- explica o chef, a respeito de adotar o modelo take away, que se ajustou ao processo do comportamento adequado na pandemia.

Dessa relação com uma clientela que fidelizou com a Pastry Lab, surgiram as sugestões para que o atendimento ao público no local, com mesas, chás, cafés e sucos pudesse ser implantado. Para marcar esse primeiro ano da doceria, os clientes poderão experimentar doces exclusivos no local, que em uma decoração minimalista no sempre elegante preto e branco, contrastando com a paleta de cores diversificada de seus doces que encantam tanto pelo visual elaborado, quanto pela experiência de sabores propostas pelo chef Gustavo Lorenzon. ” Os doces não são versões modernizadas de doces tradicionais. Todos são criados e desenvolvidos a partir de ideias originais. Buscamos dar a oportunidade ao curitibano de ver a confeitaria sob um prisma novo. Quero apresentar algo em movimento, que sempre se transforme e evolua” – detalha o chef empresário.

Segurança e investimentos

Na contramão de muitos negócios que não tiveram condições de manter ou recriar seu posicionamento no mercado durante a pandemia, a Pastry Lab gerou empregos e cativou clientes que se conectaram com a proposta de doces elaborados e de degustação com experiência. Há versões unitárias e outras que podem ser reproduzidas em tamanho maior, feitas sob encomenda.

A delicadeza das formas e embalagens sugerem que os doces possam ser dados como presentes e “elevar o status de uma refeição”, como define o chef. Há também produções sazonais e temáticas criadas na Pastry Lab, que prima pela combinação de ingredientes desde o puro chocolate belga, até especiarias regionais brasileiras, como a catuaba, além de sobremesas sem açúcar e sem glúten.

O novo site da Pastry Lab https://pastrylab.com.br/ convida o cliente para um tour sobre seus serviços e produtos, assim como a possibilidade de participar de um clube de prêmios e benefícios, a partir de indicações e compras de seus doces.

Um dos doces mais famosos da casa é o Partly Cloudy,  composição leve e aerada de camadas com maracujá, manga e coco, com forma de nuvem em jatos cinzas, que lembra os dias cinzentos de Curitiba.  O Catarina, que evoca a imperatriz russa de mesmo nome, uma tarte de cacau, recheio de Gianduia, torres de chocolate belga 50% “coroadas” pela crocância perfeita do praliné de amêndoas e avelãs. Folhas de ouro comestíveis para completar.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top