You are here
Home > Empreendedorismo > Estacionamento, um negócio em crescimento acelerado

Estacionamento, um negócio em crescimento acelerado

estacionamentoMesmo com os preços elevados dos combustíveis, o número de veículos que circulam diariamente nas ruas das grandes cidades não vem diminuindo. Curitiba, por exemplo, é a cidade brasileira que tem o maior número de carros por pessoa. São mais de um milhão de veículos circulando na cidade. E alguns locais está cada vez mais difícil encontrar uma vaga para estacionar. Outro fator que tem contribuído para o crescimento do negócio é a falta de segurança, que faz com que muitas pessoas “prefiram” arcar com o custo do estacionamento a expor uma parte relevante do patrimônio pessoal a qualquer eventualidade. Por isso, nos últimos anos, o mercado de estacionamento rotativo vem apresentando nível de crescimento acelerado.

De modo geral, a gestão de um estacionamento é simples e reúne alguns dos “pilares fundamentais” de um bom negócio, ou seja, rapidez de implantação, baixo custo operacional e baixo valor agregado do produto/serviço. Além disso, a atividade possui um enquadramento tributário favorável ao empreendedor, o que aumenta a viabilidade econômica dos empreendimentos desta natureza.

Para quem pretende investir no ramo de estacionamento deve considerar alguns pontos relevantes. O primeiro deles é o preço dos terrenos, que está bastante elevado, principalmente as áreas localizadas em regiões estratégicas. Dessa forma, a aquisição do imóvel para montar um estacionamento pode tornar a atividade inviável no curto prazo, o que não invalida o investimento para o médio e longo prazo, tendo em vista a comprovada escassez de bons terrenos a preços realmente competitivos. Outro item que não pode ser esquecido é o zoneamento urbano. Alguns municípios têm restringido a liberação de novos alvarás para estacionamento rotativo em áreas de crescimento urbano.

E, se não houver disponibilidade financeira do empreendedor para a aquisição do imóvel, uma alternativa é a locação do ponto. Nestes casos, recomenda-se o cuidado adicional de definir antecipadamente o prazo e o valor máximo da locação de forma a manter viável a exploração da atividade. Outro ponto importante a ser considerado pelo futuro empresário é o impacto das despesas com seguro e segurança efetiva do estabelecimento nos preços que serão praticados.

Por último, o ticket médio e os produtos oferecidos (horista, mensalista, convênios) devem estar em linha com a localização, estrutura física (vagas cobertas, tipo de pavimentação, monitoramento) e concorrência – pois ainda que a atividade seja simples, oferecer qualidade é imprescindível.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top