You are here
Home > Negócios > Mercado de pintura publicitária perde trabalho para a tecnologia, mas existem ainda muitas empresas que preferem contratar serviços manuais de bons profissionais

Mercado de pintura publicitária perde trabalho para a tecnologia, mas existem ainda muitas empresas que preferem contratar serviços manuais de bons profissionais

Até 30 anos atrás, quando os computadores chegaram ao mercado, as atividades profissionais, principalmente as ligadas a comunicação e publicidade eram bem diferentes. Com o avanço da tecnologia, a prática de criar logotipos e campanhas baseadas em pintura publicitária foi sendo abandonada e substituída pelos modernos programas de editoração. Mesmo assim, ainda existem profissionais que atuam com pincéis e que desejam abrir uma empresa de pintura publicitária.

O mercado para pintura publicitária é voltado para atender comerciantes, promotores de eventos, políticos, instituições de saúde, de ensino e organizações da sociedade civil por meio de letreiros e pinturas feitas em paredes e muros. Os outros meios de comunicação foram completamente tomados pela tecnologia. Por conta disso, é um espaço de atuação focado para quem quer um produto mais simples ou diferente.

O empreendedor que pretende investir em uma empresa de pintura publicitária deve ter em mente que o diferencial está exatamente no trabalho manual feito pelo profissional. A verdade é que existem potenciais clientes que preferem usar a arte feita pelas mãos do que as mediadas pelo computador e, por isso, contratam um profissional do ramo.

Para tornar o negócio conhecido, o empresário pode usar o seu próprio trabalho de fazer letreiros. Mas é necessária atenção redobrada porque é preciso ter autorização da prefeitura da cidade para poder colocar os letreiros, até mesmo os que ficam na frente do ponto comercial. Também para revelar o seu trabalho aos clientes, o ideal é fazer folders pintados à mão. Eles ficarão perfeitos e a possível clientela já pode conhecer e avaliar parte do trabalho que está sendo oferecido.

Para o negócio começar a funcionar, será necessário somente dois profissionais, que são o dono da empresa e um auxiliar. Com essa dupla, o negócio já pode ser tocado. Quanto aos materiais a serem utilizados, o empreendedor deve comprar pincéis adequados, bem como materiais de pintura em geral, réguas, cavaletes e escadas.

No caso da elaboração de letreiros, que é o trabalho mais comum feito em uma pintura publicitária, deve-se ter ênfase na divulgação da empresa especialmente em épocas eleitorais. Muitos políticos contratam pessoas para fazer cartazes e realmente esta é a época adequada para ter mais rendimentos.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top