You are here
Home > Negócios > Com a Reforma da Previdência custos das empresas com benefícios devem aumentar

Com a Reforma da Previdência custos das empresas com benefícios devem aumentar

Os impactos da reforma na Previdência Social têm ganhado cada vez mais destaque na sociedade brasileira. No entanto, um aspecto importante que afeta diretamente as empresas ainda está bem longe do centro das discussões – o consequente aumento dos gastos com benefícios corporativos. É o que aponta especialistas da Aon, empresa global líder de serviços profissionais que oferece ampla gama de soluções em riscos, previdência e saúde.

Segundo a última Pesquisa de Benefícios da companhia, no Brasil, a assistência médica é responsável pelo maior custo de uma empresa, atrás apenas da folha de pagamento. Com os colaboradores trabalhando até uma idade mais avançada – 65 e 62 anos para homens e mulheres, respectivamente –, a tendência é que esta despesa suba significantemente.

Roberta Porcel: “é fundamental que a reforma da Previdência seja analisada em sua plenitude”.

“Estudos mostram que a cada ano que envelhecemos, geramos um custo médio 3% maior que o ano anterior para as operadoras de saúde”, explica Roberta Porcel, Líder de Consultoria em Previdência e Serviços Atuariais da Aon Brasil. Segundo ela, este investimento maior com um benefício naturalmente oneroso, mas fundamental para os colaboradores, ainda não foi mapeado pelas empresas e a sociedade de maneira geral.

Somado a este dilema, existe o fato de que os planos de saúde corporativos devem ficar 17% mais caros, em média, este ano, elevação quatro vezes superior à inflação, de acordo com outro estudo da Aon, o Relatório Tendências Globais dos Custos de Saúde 2019. “Estes são alguns reflexos imediatos que as companhias devem sentir em seus negócios. Ao mesmo tempo em que é necessário um amadurecimento da cultura da aposentadoria, é fundamental que a reforma da Previdência seja analisada em sua plenitude”, avalia Roberta.

Para a executiva, a discussão acerca da reforma não deve apenas girar em torno de um ponto específico, mas precisa ser baseada em aspectos que dizem respeito à macroeconomia e profundas mudanças organizacionais, assim como o aumento da procura pela previdência complementar. “Além disso, um investimento voltado para a área de recursos humanos também deve estar no radar das corporações, para tratar de temas como a presença de gerações mais maduras no ambiente de trabalho e a diversidade”, completa a especialista da Aon.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top