Expectativa de volta às aulas movimenta produção de máscaras infantis no Brasil

Expectativa de volta às aulas movimenta produção de máscaras infantis no Brasil

Com a expectativa da volta gradual às aulas em diversas regiões do Brasil, há a preocupação com a proteção dos alunos. Pensando nisso, empresas estão criando e desenvolvendo produtos especialmente para a segurança das crianças neste próximo contexto.

Um exemplo é o da Isoflex, que está lançando máscaras infantis nomeadas como Face Shields. A empresa paranaense, especializada em soluções em gestão visual, tem adaptado suas atividades à alta demanda por proteção do mercado nacional e produzido diversos itens de segurança desde o início da pandemia.

Atenta às tendências da Ásia e Europa, onde o número de contaminações é decrescente, a fabricante resolveu adiantar o desenvolvimento de máscaras destinadas às crianças, seguindo o exemplo do que vem acontecendo em países que estão retornando progressivamente às atividades normais

“Ainda não estamos no ponto de retorno às aulas no Brasil, mas resolvemos nos adiantar desenvolvendo as máscaras Face Shields infantis, que são confeccionadas em tamanho especial para crianças. Tem película de proteção nos dois lados, a superfície interna do arco é emborrachada para não machucar a cabeça e o material da viseira é maleável, evitando acidentes em caso de quedas”, comenta a diretora de marketing da Isoflex, Carolina Wolfart Hartmann.

A Isoflex tem uma capacidade de produção de 200 mil unidades por mês de máscaras Face Shields infantis. É um produto exclusivo para crianças, mas Carolina Hartmann salienta que não foi pensado apenas para o retorno às aulas. “Vemos muitos pais levando seus filhos ao mercado, por exemplo, e imaginamos que seria uma forma de manter os pequenos mais seguros”.

Com o início da pandemia, a empresa viu-se obrigada a desenvolver novas estratégias e produtos para combater o coronavírus. Adaptou sua linha de produção para a confecção de itens que auxiliassem a sociedade no enfrentamento à doença. Até mesmo uma categoria especial foi incluída em seu portfólio para atender à alta demanda por proteção, chamada de Linha Covid-19.

“Tivemos que nos adaptar de forma rápida. Levamos três dias para desenvolver e divulgar o primeiro produto da linha Covid-19, depois foram mais duas semanas fazendo os ajustes na linha produtiva, treinando a equipe, fazendo adaptações no desenho e capacitando mais pessoas para trabalhar nas máquinas. Agora, com a linha produtiva alinhada, estamos atendendo a demanda de produtos Covid-19 e dos nossos produtos de linha normal”, revela Carolina Hartmann.

A diretora de marketing da Isoflex conta também que os primeiros produtos desenvolvidos para a linha Covid-19 pela empresa foram as máscaras em acetato, indicada para proteção contra partículas e resíduos. São três peças que se encaixam e formam a máscara completa. Para a mesma utilidade foram desenvolvidas as máscaras emborrachadas, com regulagem de tamanho.

“Mais recentemente passamos a produzir dispensers para disponibilizar máscaras nas entradas de estabelecimentos, e barreiras de proteção para serem utilizadas onde existe a proximidade entre atendente e cliente. Criamos ainda identificadores para piso, como o zebrado com o meio transparente e abertura lateral para colocação de uma folha de tamanho A4, e o adesivo, que serve para demarcar o espaçamento ideal de 1,5 metro entre as pessoas em filas”, complementa Carolina Hartmann. Outra novidade da empresa é o quadro planner para gerenciamento de atividades e organização de demandas diárias do trabalho em home office, visto que muita gente está trabalhando em casa.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *