You are here
Home > Finanças > Veja como a inteligência financeira pode ajudar na administração das finanças

Veja como a inteligência financeira pode ajudar na administração das finanças

A paralisação de várias atividades produtivas por causa do coronavírus tem impactado não apenas na economia das cidades e do país, mas também o bolso das pessoas. Com a renda familiar prejudicada e um cenário de incertezas ainda persistente, o desenvolvimento da inteligência financeira é essencial para ajudar na administração das finanças e na organização do orçamento familiar.

Para Sérgio Pessoa, coach de finanças da Febracis-Belo Horizonte, o momento atual exige adaptação. “É preciso buscar fontes alternativas de renda, ajustar despesas, renegociar dívidas e o mais importante: fazer um planeamento para o longo prazo. Um levantamento detalhado das receitas e os gastos dos próximos meses permitirá, por exemplo, uma definição do fluxo de caixa e a distinção entre as despesas essenciais e as supérfluas, resultando em um respiro financeiro” explica.

Planejamento

Segundo ele, o planejamento é um dos pilares da inteligência financeira. “Este conceito refere-se à capacidade de obter bons resultados na administração do orçamento pessoal e familiar, a partir de seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Mais do que construir uma planilha para registrar receitas e os gastos, é sobre a criação do hábito de reavaliar e adaptar essas informações, buscando aprendizados que gerarão resultados cada vez melhores”, afirma.

No entanto, muitas pessoas ainda não sabem ou não compreendem a importância da aquisição da inteligência financeira, e direcionam todos os seus esforços às situações momentâneas. Sérgio explica que essa dificuldade está relacionada à mentalidade.

“Nós crescemos ouvindo frases de efeito, tais como ‘dinheiro não dá em árvore’. E essas informações se tornam crenças, ou seja, aprendizados emocionais que nos acompanham por toda a vida, ainda que de modo inconsciente”, diz. Essas crenças muitas vezes resultam em comportamentos negativos, tais como: falta de disciplina e motivação, impulsividade e pessimismo.

Sobre o caminho para adquirir a inteligência financeira, Sérgio argumenta que o primeiro passo é buscar referências positivas. “É preciso fazer uma imersão no assunto, um bom ponto de partida é consumir conteúdos que abordam a temática. Nesse sentido, indico ‘Criação de riqueza’, de Paulo Vieira. Também é importante rodear-se de pessoas que compartilham do mesmo objetivo, para que sejam parceiros nessa caminhada.”

O especialista acrescenta que uma administração eficiente das finanças não depende de sorte ou habilidades naturais. “É uma habilidade proveniente de conhecimento, da utilização de ferramentas e de técnicas, as quais podem ser facilmente aprendidas e exercitadas. É um esforço que pode ser comparado ao da musculação, mas em vez de definir os músculos, o objetivo é o desenvolvimento de comportamentos positivos. Por isso é um conceito que está intimamente relacionado à inteligência emocional, ou seja, a capacidade de equilibrar ações e emoções”, conclui.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top