You are here
Home > Negócios > Primeira portaria com inteligência artificial chega a Curitiba

Primeira portaria com inteligência artificial chega a Curitiba

Nos últimos anos estão ganhando notoriedade no setor de serviços e atendimento, ferramentas tecnológicas que utilizam a inteligência artificial (IA), como por exemplo, as atendentes virtuais que já são destaque em vários setores e ajudam a aumentar a efetividade em processos, otimizar serviços e reduzir  custos operacionais. Seguindo essa tendência, chega a Curitiba a primeira Portaria Robotizada do país, com tecnologia inovadora, ideal para dar mais segurança para os pequenos e médios condomínios, que contam apenas com o serviço de interfone para acesso e também como opção de reduzir custos de forma significativa.

Essa tecnologia está sendo implantada em condomínios da região Sul do Brasil pela empresa de Curitiba, a Primee, que está sempre em busca de novas tecnologias voltadas para área de segurança patrimonial, em parceria com a sua desenvolvedora, a HomeBook, startup incubada na Incamp (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

E, nessa busca constante, a Primee apresenta para Curitiba um serviço inovador e diferenciado, a solução de Portaria Robotizada, que utiliza o conceito da Indústria 4.0, vai trazer mais segurança e comodidade aos pequenos condomínios e prédios, que não têm uma portaria presencial e remota por conta dos altos custos operacionais.

Demanda reprimida

Segundo Ezequiel Fernandes, um dos sócios da Primee, o objetivo dessa tecnologia não é substituir a vaga do porteiro, mas atender a uma demanda reprimida dos pequenos condomínios que acabam ficando descobertos por não poderem arcar com os custos de uma portaria presencial ou remota, ficando exposta a falta de segurança por não terem um sistema que controle melhor o acesso. “Com um interfone, por exemplo, o morador só consegue se comunicar com o visitante se estiver em casa.

No caso da Portaria Robotizada, o morador pode ver quem está na portaria pelo aplicativo do celular, pode abrir a porta ou o portão de veículos, mesmo não estando no local. Se não atender, terá um registro no histórico da portaria, pois o visitante pode deixar um recado de voz, que estará em um arquivo no banco de dados e o morador poderá visualizar na hora que desejar. A comunicação e orientação para o cadastro dos visitantes é feita de forma interativa com a atendente virtual, a Hellô”.

Esse projeto piloto inédito no país, está sendo realizado em um condomínio em Curitiba e demonstra que esse tipo de portaria é ideal para este nicho, que fica sem muitas alternativas. “Ele é voltado para este mercado de poucas unidades, que não tem um produto para eles e essa é uma tendência para reduzir custo e ter mais segurança na portaria, pelo custo x benefício que ele oferece” diz Fernandes.

Redução de custos operacionais

O sócio da Primee informa que “para ter uma portaria presencial, 24 horas por dia, o custo aproximado é de R$ 20 mil ao mês, e que ocasionaria um valor mensal de condomínio de  R$1.428, para 14 moradores, só para este fim, o que fica inviável. Se optarem por uma portaria remota, com o atendimento direto da base, o custo operacional seria de R$ 6.500 ao mês, sem contar o custo da automação, custando para cada morador R$ 464, e mesmo tendo 67% de economia em relação ao primeiro sistema, também é um valor alto, sendo mais viável um sistema de interfone”.

Já a Portaria Robotizada, que é autônoma, Ezequiel aponta o custo operacional em torno de R$ 3 mil ao mês, ou um custo para cada morador no valor de R$ 214,00. “Ela conta com atendimento robotizado integrado com os dispositivos do condomínio e câmeras, e, por exemplo, caso seja disparado um alarme, isso irá gerar um alerta para o síndico. E neste sistema, há a possibilidade de trabalhar ainda com o sistema híbrido de portaria remota com a robotizada”, acrescenta ele.

Solução de ponta para pequenos condomínios 

Em condomínios pequenos, que só teriam acesso a um interfone, a tecnologia da Portaria Robotizada se torna também uma ótima opção, pois oferece uma possibilidade totalmente viável pelo custo e por suas funcionalidades. “Ela é ótima para este nicho que tem poucas unidades, que não têm portaria e elevador, onde o interfone e a câmera são as únicas opções pelo custo operacional baixo. A Portaria Robotizada veio para preencher essa lacuna”, destaca o sócio da Primee.

O produto que alia tecnologia e inteligência artificial vem para suprir essa demanda. “Diferente do interfone convencional, que só abre a porta e tem a função de recado de voz no ato do contato, a Portaria Robotizada tem uma tecnologia que torna acessível fazer o cadastro de visitantes, de deixar recado por vídeo para o morador (ausente), agendamento de retorno ou visita para entregas, contatar o morador mesmo não estando no local por meio do app integrado, faz registro de entrada e saída, ou seja, registra tudo, e isso, em geral não tem nem em portaria presencial. Além disso, é gerado um relatório com todas as atividades, que por sua vez aumenta a segurança, sendo uma solução de ponta que chega para agregar muitas funcionalidades para os pequenos condomínios”, finaliza Fernandes.

Tecnologia empregada

A Portaria Robotizada conta com atendente virtual conhecida como Hellô, que é inteligente e automatizada, sendo pioneira no Brasil neste segmento. Ela tem aliada em sua tecnologia vídeo chamada, internet das coisas, Inteligência artificial e robótica. Foi desenvolvida pelo técnico em eletrônica, graduado em Ciências Sociais e com especialização em Sustentabilidade, Alcino Vilela, através da HomeBook, startup incubada na Incamp (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Sua tecnologia ganhou em 2019, o 17º lugar como a startup mais inovadora de acordo com o Ranking da The Innovation Awards Lata, estando entre as 100 melhores startups da América Latina.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top