You are here
Home > Trabalho/Emprego > Trabalhar soft skills aumenta as chances de jovens conseguirem emprego

Trabalhar soft skills aumenta as chances de jovens conseguirem emprego

As chamadas soft skills, competências comportamentais, são cada dia mais valorizadas pelo mercado de trabalho. Neste contexto, além das habilidades técnicas, inerentes a cada área de atuação, as capacidades socioemocionais ganham destaque tanto na contratação, quanto na permanência do colaborador na empresa.

O Relatório de Tendências Globais de Talento 2019, realizada pelo LinkedIn, rede de contatos profissionais, aponta que 92% dos profissionais de Recursos Humanos, nos 35 países ouvidos, entendem que as habilidades socioemocionais são cada dia mais importantes para o mercado corporativo.

Para 89% dos entrevistados, profissionais com baixo desenvolvimento de soft skills geram contratações insatisfatórias. Outro levantamento, realizado pela Capgemini Digital Transformations Institute, em 2017, demonstra que 60% das empresas têm problemas comportamentais com seus colaboradores.

Sabendo da necessidade crescente do mercado de trabalho por profissionais com soft skills desenvolvidas, instituições que preparam jovens e adolescentes para o primeiro emprego têm buscado desenvolver habilidades socioemocionais durante a capacitação profissional. Entre as habilidades valorizadas pelas empresas, estão boa capacidade de comunicação, trabalho em equipe, resiliência, flexibilidade, entre outras. “Ao desenvolver o autoconhecimento, o jovem melhora sua autoestima e identifica suas principais habilidades, passando a utilizá-las a seu favor. Em geral, os profissionais desenvolvem as habilidades comportamentais ao longo dos anos e, por isso, ao trabalhar estas competências com os jovens, nós colaboramos para que eles apresentem um diferencial ao ingressar no mercado de trabalho, tendo em vista que não dominarão somente a parte técnica, mas, também, o lado comportamental que é indispensável no ambiente corporativo”, analisa Wandreza Ferreira, Diretora Executiva do Instituto Ser+.

A inteligência emocional, quando bem desenvolvida, gera mudança de comportamento, estabilidade emocional, resiliência e capacidade de traçar objetivos claros. Ou seja, contribui para gerar benefícios para o jovem tanto em sua vida pessoal quanto profissional. Wandreza lembra, ainda, que jovens em situação de vulnerabilidade social têm menos espaços e oportunidades para desenvolver essas habilidades, por isso as Instituições com viés social se tornam tão relevantes em todo o processo rumo ao primeiro emprego.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top