You are here
Home > Finanças > Cuidado com os sites falsos de leilões. Só no Paraná número passa de 300

Cuidado com os sites falsos de leilões. Só no Paraná número passa de 300

Comprar imóveis e veículos em leilões é uma modalidade de negócio bastante lucrativa, especialmente para investidores que enxergam nos leilões a possibilidade de fazer aquisições para comercialização. Mas estelionatários vem provocando dor de cabeça tanto em leiloeiros oficiais de todo país quanto em arrematantes.

Criminosos criam páginas para enganar os clientes, que só percebem a fraude depois de pagar pelo bem. Só no Paraná, cerca de 300 páginas falsas já foram identificadas, de acordo com o leiloeiro oficial e vice-presidente do Sindicato dos Leiloeiros do Paraná, Helcio Kronberg. As páginas ficam por pouco tempo no ar, cerca de cinco dias, mas são suficientes para causar estrago.

Segundo Kronberg, para poder aproveitar as oportunidades oferecidas em leilões – com lances iniciais que muitas vezes podem chegar a 50% do valor de mercado –, os participantes precisam conferir, com calma e segurança, alguns detalhes importantes.

“Primeiramente é importante que o interessado confira no site do leiloeiro e no site da Junta Comercial qual o verdadeiro telefone de contato do leiloeiro, pois os falsários contam com um bom sistema de atendimento por WhatsApp ou por outros meios virtuais. Também é importante conferir o número de telefone da leiloaria na Junta Comercial e ligar, para verificar se o escritório tem mesmo uma estrutura física e atendimento de verdade. Desconfie também de preços muito abaixo da realidade”, explica.

Para acessar o site da Junta Comercial, basta entrar no site da instituição, clicar no item Serviços e procurar no menu Leiloeiros Oficiais.

Ainda de acordo com Kronberg, os falsários têm feito anúncios no Google e outros sites de busca, geralmente com domínios terminados em .com ou .org. “Procure sempre sites de leilões terminados em .com.br, além de preferir leiloeiros conhecidos que divulguem por outros meios que não apenas no Google. Também é bom checar há quanto tempo o site está no ar. Se for recente, desconfie. Basta colar a URL no site em www.registro.br. Outra dica é que quando se tratar de leilões judiciais, procurar os editais publicados no Diário da Justiça para verificar se aquele bem anunciado está correto”, aconselha.

Mais um conselho importante é acessar o site Fraude em Leilões, criado por leiloeiros e empresas do setor com o objetivo de prevenir golpes. “Há uma lista de sites verdadeiros e falsos para consulta. Para averiguar, basta informar o nome ou parte do nome na busca. Se o site que gerou dúvidas não está presente, a pessoa pode fazer uma denúncia na própria Junta Comercial, pois será averiguado”, garante.

Kronberg afirma que apostar em leilões seguros é uma forma promissora de empreendedorismo, especialmente com a retomada da economia. “É possível se tonar um empreendedor de leilões apenas pesquisando e escolhendo as melhores oportunidades, tudo quase sem sair de casa, já que a maioria dos leilões atuais são feitos de forma online”, diz.

Metade do preço em imóveis

Adquirir imóveis ainda é um dos investimentos mais lucrativos do mercado, e a compra de bens em leilão continua aumentando. É relativamente fácil encontrar casas, apartamentos e terrenos por preços 50% abaixo do valor praticado no mercado. Segundo Kronberg, nesse tipo de compra, quase todos os leilões permitem o parcelamento do imóvel mediante ao pagamento de 25% do valor à vista.

Outra vantagem apontada por Kronberg é que neste tipo de negociação há sempre um laudo completo de avaliação à disposição dos interessados, o que geralmente não acontece em outros tipos de transações imobiliárias. “Essa modalidade pode ser interessante tanto para investidores quanto para as pessoas que desejam obter a casa própria gastando menos. Os leilões são públicos e qualquer pessoa pode participar”, afirma.

Kronberg também ressalta que em leilões judiciais nenhuma dívida acompanhará o imóvel, pois ele é sempre entregue livre e desembaraçado de qualquer ônus. A única exceção são os condomínios em atraso. “Caso a ação seja exclusivamente de cobrança de condomínio, o valor pago já quitará a dívida. Quando não for, a eventual dívida poderá acompanhar o imóvel”, avisa Kronberg.

Caso o leilão seja anulado ou impugnado, o arrematante não corre risco algum, pois recebe de volta todo o valor pago.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top